Coisas da vida

O que recebo de mensagens no zap todos os dias… Sinceramente, se fosse abrir todas elas, acho que não poderia fazer outra coisa. O pior é que a mesma mensagem se repete trocentas vezes, enviada por grupos ou pessoas diferentes. Seria o dia inteirinho zapeando.

Mas às vezes consigo tempo e/ ou paciência para abrir e ler algumas delas com atenção. Foi o que aconteceu ontem, com uma mensagem que ensina a forma correta de se comer frutas e prova por A+ B que fruta se deve comer com estômago vazio, que essa história de fruta na sobremesa é pura cascata.

Estava eu tentando entender as razões do “conselho”, quando tocou o telefone e era uma amiga, amiga esta que tem quase obsessão por alimentação saudável.  Comentei a coincidência de estar lendo sobre o assunto, na certeza de que ela tiraria minhas dúvidas. Ela começou a falar… e estaria falando até hoje se eu não a tivesse interrompido uma hora e 15 minutos depois.

Por quê? Bom, presumo que você não esteja perguntando sobre a razão de eu tê-la interrompido, deve estar mesmo é querendo saber por que cargas d’água Philomena falou tanto tempo sobre digestão de frutas. Então te respondo: ora, do assunto digestão de frutas ela migrou para as dietas.

Gente, ouvi coisas que nunca tinha imaginado antes, e olha que já sou bem crescidinha… Para início de conversa, aprendi sobre uns tipos de dieta até então desconhecidos por mim. Nem ousem pensar que estou falando daquelas usuais — dieta dos pontos, ortomolecular, com glúten, sem glúten, só saladas, só frutas, sem carboidrato, com carboidrato, com gordura, sem gordura… Nada disso.

Estas eu consegui anotar: dieta do C, volumétrica, revolucionária, italiana, das combinações, líquida, de banana, de suco verde, flexitariana, da água, de iogurte, papinha de bebê, paleolítica, dash, do leite, TLC, do tipo sanguíneo, das cores, da batata doce, e por aí vai.

Achei muito interessante uma delas, que garante a redução de peso se a pessoa comer apenas comida pré-embalada. Por quê? Segundo dizem, se a pessoa tiver que se preocupar apenas em ingerir os alimentos estará contribuindo para diminuir a ansiedade e a compulsão alimentar…

Desligando o telefone, abri um livro de História que estou lendo no momento e dei — literalmente — de cara com o nome de um rei, o rei Adolfo Frederico, da Suécia. A citada majestade é coadjuvante longínquo no livro, mas em não conhecendo a figura, fui pesquisar, e descobri que… se não fosse trágico seria cômico, muito cômico, pela coincidência: o tal rei faleceu após uma refeição.

Tá, você deve estar dizendo. E daí? Daí que Sua Realeza morreu depois de ter consumido uma refeição real cujo cardápio se constitui de, apenas, lagosta, caviar, chucrute e arenque defumado, tudo regado a muita champanhe e seguido de quatorze porções de sua sobremesa preferida — semla, uma espécie de  pão recheado com amêndoas e coberto de chantilly.

Está vendo? Eu falando de dieta e termino a crônica contando a história de um rei que morreu de tanto comer.

Coisas da vida…

Foto: Rei Adolfo da Suécia. Fonte: Wikipedia

Deixe um comentário!