Malhando o Judas

judasHá muito tempo, tanto tempo que o próprio tempo resolveu esquecer, fazia parte dos costumes dos agricultores agradar aos deuses para que tivessem boas colheitas.

No ritual pagão, no início do cultivo, e quando encerravam as colheitas, os agricultores faziam um boneco de palha — que representava o “deus” da plantação — e o queimavam, acreditando que deste modo o “deus” estaria energizado com o poder do fogo. Nem o sol nem as geadas queimariam a plantação, garantindo luz e calor na medida certa para o alcance do bom resultado.

O costume chegou ao nosso país com os portugueses, não mais como ritual pagão, mas a serviço da religião católica, simbolizando o julgamento popular de Judas Iscariotes, um dos seguidores de Jesus Cristo que o teria traído e denunciado ao Sinédrio, o Conselho Supremo, por dinheiro.

Existem também versões que relacionam a malhação do Judas à Inquisição e à perseguição aos judeus na Idade Média: segundo alguns historiadores, os acusados de cometer heresias que conseguiam fugir da prisão eram substituídos por bonecos e queimados simbolicamente em praça pública.

Enfim, por razões religiosas ou culturais, a malhação do judas era, até alguns anos atrás, um costume importante do folclore brasileiro, não só nas cidades do interior, mas também nas grandes cidades. Pessoalmente, sempre achei um ato bem primitivo, mas acabava por me render à inteligência e ao humor das legendas que se via nos “judas’ das ruas.

Mas passa que passa tempo, e sai mudando despudoradamente até o pobre do folclore. “Malhar”, hoje em dia, significa se exercitar, até aí, tudo bem; mas o folclore foi pro brejo, não se vê mais os judas nas esquinas de tudo quanto é bairro, como antigamente.

Como não sou daquelas pessoas saudosistas, que vivem dizendo “no meu tempo…”, prefiro analisar os fatos com frieza, ou, quando possível, com bom humor. Será que o citado costume se perdeu no tempo, ou serão tantas as opções de escolha para os judas, comuns e óbvias, que a “brincadeira” perdeu a graça? Ou será que…

Bem, vejamos as manchetes dos jornais mais importantes do país no sábado passado, para tentar captar alguma coisa do “espírito da aleluia”.

 

O Globo: Governo admite que PM pode reocupar Complexo do Alemão.

Folha de São Paulo: Policiais são afastados após ação que causou morte de menino.

O Estado de São Paulo: Incêndio em Santos é parcialmente controlado.

Estado de Minas: Dez homens armados explodem caixa eletrônico no interior de Minas.

Zero Hora: Sargento da Brigada Militar e o filho assassinados…

 

Moral da história: gente, com esses acontecimentos, ninguém precisa mais malhar judas nenhumAliás, já estou até na dúvida, não demora muito terei até que admitir que os judas modernos, os que são malhados diariamente pelas circunstâncias…  Somos nós!

Deixe um comentário!