…Nesta Data Ferida…

Parabéns, meu caro símbolo maior desta cidade que um dia já foi maravilhosa.

Parabéns pela sua grandeza, e por nunca ter recolhido os braços, mesmo quando a insensatez, a corrupção e o desgoverno foram o prato principal do menu degustado nos restaurantes do mundo pelos nossos governantes, com suas caras cínicas e suas bandanas de guardanapo.

Parabéns por ter mantido o ar protetor, mesmo nas vezes em que nós, povo carioca, não soubemos fazer uma escolha decente e colocamos calhordas e corruptos na governança de nossa cidade e até do nosso Estado.

Parabéns por se manter impávido, e nunca ter se abaixado para fugir das balas que, infelizmente, atingiram crianças que brincavam em seus quintais, adolescentes que carregavam celulares nas mãos, e que também mataram bebês…, houve até bebê atingido na morada que até então parecia a mais sagrada e protegida – o útero materno.

Quando o vejo com seus braços abertos e seu olhar de pedra, sinto uma grande ternura saída lá do fundo da minha alma. Na minha fantasia, você está fazendo um convite ao abraço. E, como disse magistralmente a Martha Medeiros, “o melhor lugar do mundo é dentro de um abraço”. Mas este é o abraço impossível, porque todos nós, e especialmente os que foram vítimas, não somos de pedra. Somos carne – carne machucada pelas balas que feriram não a nós, mas a tanta gente que teve por erro apenas sair de casa para ir às compras, à escola, ou para ver o seu amor. E somos osso – ossatura envergada pela vergonha de tudo o que tem acontecido em tantos janeiros deste Rio de Janeiro.

Por isso não pude cantar diferente ontem, quando o Rio de Janeiro fez o seu 453º Aniversário:

Parabéns pra você, nesta data FERIDA…

2 comentários

Deixe um comentário!