Oops, Deixei Cair a Torta de Limão

série “Aprendendo com os erros” – nº 01

Clipboard01

Quantas vezes erramos e ficamos com a sensação de derrota, de frustração, com o sentimento de… ”-Ai, sou um fracasso”.

Entretanto, à medida que o Tempo vai passando e temos melhores condições de nós mesmos, quando nos apropriamos dos rumos de nossa Vida e tomamos as rédeas do nosso destino, verificamos que a frase “Devemos aprender com nossos erros”, não é pura demagogia; ao contrário, encerra grande sabedoria.

Nos últimos dias, vendo uma pessoa querida muito arrependida de alguns fatos de sua vida, me dispus a pensar sobre essa questão. Foi quando me lembrei da história de Massimo Bottura.

“Na vida, enquanto você não deixar um espaço livre para a Poesia, você não vai conseguir valorizar o todo em sua vida. Deve também, deixar um espaço livre para pensar nas suas obrigações sem o peso de estar cumprindo um dever, e sim, buscando sempre o prazer, a inovação e a realização. Sentado num banco esperando ônibus, olhando as folhas caírem no outono, em qualquer lugar e situação da sua vida, pense que erros são característica dos humanos e, de certa forma, são bacanas porque nos abrem a chance de tentar fazer diferente. Quando compreender assim, vai conseguir superar”, foram suas palavras.

Ora, fácil dizer isto quando se é proprietário de um restaurante de sucesso, pensei. De qualquer forma, paguei para ver e fui pesquisar a sua história. Me surpreendi, o homem é uma figura verdadeiramente excepcional. Ele descreve a sua profissão assim: “Eu dialogo com o seu paladar, mas se puder me conectar com uma parte do cérebro onde ficam outras sensações, este diálogo será muito mais profundo”. E aí, os pratos que ele apresenta são verdadeiras obras de Arte, ouso dizer que lembram até a pintura de Pollack.

Nascido em Modena, Itália, sua vida não foi só de sucessos. Quase precisou fechar seu restaurante, pois os italianos conservadores não aceitavam sua gastronomia de vanguarda. Os críticos culinários locais arrasaram o menu do seu restaurante . Até que um dia, foi convidado pelo chef Ducasse para fazer um estágio. Foi aí que ele teve certeza de que fazia algo realmente importante para a gastronomia italiana.

Retornando a Modena continuaram as críticas, mas, como diz o provérbio, quem tem estrela não morre pagão. Pois um importante crítico italiano teve um problema no carro quando ia de Milão para Florença, e precisou dormir em Modena. Foi jantar na Osteria Farncescana. E se deliciou, e tanto, que fez um artigo enaltecendo as virtudes do chef. Foi o que bastou para calar a boca dos críticos de Modena. Todos passaram a querer conhecer o menu “revolucionário’ de Massimo Bottura.

Seu menu é repleto de títulos interessantíssimos, e o que mais me impressionou foi o “Oops, I dropped the lemon tart”, pelo inusitado do nome e pela história que passo a lhe contar.

Estavam , Massimo e seu subchef Taka atendendo um pedido de sobremesa quando a torta de limão quebrou. O subchefe , japonês, queria se matar de tanto nervoso, mas Bottura, olhando para os pedaços de torta, lhe disse: – Olha, Taka, que bonito” (só havia no estoque mais uma torta e eram dois pedidos).

Pois bem, ele improvisou e tornou a torta “Oops, deixei cair a torta de limão”, cuja foto você vê no início desse artigo, o prato mais solicitado do seu cardápio.

E Modena, cidade natal de Pavarotti e Ferrari, tem mais um filho para se orgulhar.

Ah, o seu restaurante Osteria Francescana é um *** Michelin, talvez para honrar sua convicção “Torne visível o invisível e poderá enxergar a oportunidade”.

Deixe um comentário!