Para bom entendedor…

Desligo a TV e fico refletindo, lerda, perplexa com a atitude da Instituição que é a casa dos representantes do povo.

E me pergunto: será que essa gente… , estou me referindo a esses representantes do povo… A princípio eu ia colocar ironicamente entre aspas assim: esses “representantes” do povo… Mas, pensando bem, não posso fazer isto porque na verdade eles SÃO os representantes do povo, nós os escolhemos, votamos neles, nos seus nomes, nos seus números, no partido ao qual eles pertencem.

É, gente, é hora de assumirmos nossa parcela nesta história, triste história do nosso país, em que até a liberdade é moeda de troca para políticos venderem seu apoio . Não foi o que aconteceu na semana passada?

O Governo emitiu uma Portaria (que vontade de trocar o t por um c…) que modifica o conceito de trabalho escravo e restringe as ações punitivas às empresas que praticam tal ilícito. Pesquisei quem segundo a legislação atual existem quatro fatores que podem caracterizar a existência de trabalho escravo: o trabalho forçado, servidão por dívida, condições degradantes de trabalho.

A nova portaria estabelece que o para caracterizar o trabalho escravo é necessário que haja o “cerceamento à liberdade”.

Que é isso, meu?

Além de trabalhar feito um camelo, comem angu de farinha e pagam como se tivesse comido caviar – é, porque esses trabalhadores rurais, pra quem não sabe, pagam a droga de comida que comem, uma droga mesmo, pagam o pardieiro em que estendem o corpo cansado ao retornar do trabalho e muitas vezes até o caminhão caindo aos pedaços que os leva até o local de trabalho.

Qual a opção? NENHUMA. Não tem outro modo de ir ao trabalho, não tem o que comer além daquela comida. E, como tudo é cobrado a preço inacreditável, eles ao final do mês recebem uma mixaria. E como a dívida só aumenta, eles ficam atrelados ao patrão.

É, e querem mudar tudo e caracterizar que só com “cerceamento de liberdade“ existe o trabalho escravo.

OIT (Organização Internacional do Trabalho). ONU (Organização das Nações Unidas) reclamando, e o Congresso aqui votando, sorridente, a favor do presidente, colhendo os louros da negociação.

Pra bom entendedor pingo é letra… Fomos nós, nós, meus amigos, que pusemos essa gente lá no Congresso. Vamos pensar nisso, vamos mudar nossa história, vamos, na próxima eleição, esquecer de vez esses políticos da velha política – a que vende , que corrompe, e que destrói até o sagrado direito de trabalhar em Paz.

Que pelo menos, tentemos votar em novos nomes, sempre haverá uma nova esperança.

Deixe um comentário!