Presente de grego

cavalo-de-troiaQuantas vezes ouvimos a expressão, ligada, é claro, à mitologia grega! Agora, entretanto, e pela primeira vez, sinto a semelhança entre o Brasil e a Grécia de Tróia.

No final de 2014, estávamos em guerra: uma guerra silenciosa, em que percebíamos nosso país descendo ladeira abaixo e o discurso oficial declarando que o sistema de saúde no Brasil era dos melhores do mundo, e coisa e tal.

Mentiras, e “competentes” estratégias de marketing nos mostraram uma situação que, dois dias depois da eleição, caiu como um castelinho de cartas marcadas.

Crise na Educação? Mentira da oposição…

Hoje foram publicadas na Folha de São Paulo as mudanças no FIES (Fundo de Financiamento Estudantil), após o corte de R$9,4 bilhões no orçamento da Educação, corte este que também afeta os repasses a programas como o Pronatec, e quem sabe a quantos mais. As mudanças estão sendo discutidas esta semana pelo Ministério de Educação, espera-se que a portaria seja publicada na próxima semana. E um dos pontos que está sendo discutido é o aumento dos juros no crédito estudantil. No CRÉDITO ESTUDANTIL.

No entanto, em seu discurso de posse, a presidente (com p minúsculo mesmo), cravou para nosso país a alcunha de “Pátria Educadora”. Parece até deboche. Não se faz um corte desta grandeza no orçamento de Educação de uma “pátria educadora”!

Enquanto isso, o Indicador de Falências e Recuperações Serasa Experian divulgou que o número de pedidos de falência teve alta de 57% em março. Mas em junho a presidente discursou bonito, disse que o Bolsa Família cumpria mais um importante papel, porque “além de garantir a retirada de milhares de pessoas da fome e da miséria, o programa funciona como apoio e suporte para que essas pessoas se qualifiquem profissionalmente, por meio do Pronatec. Em seguida, o cidadão tem a oportunidade de ingressar no mundo empresarial, por meio das simplificações e desburocratizações que hoje estão à disposição dos micro e pequenos empresários (MEI).[1]

Ou seja, a pessoa abre uma empresa através do MEI e abre falência em seguida…

Aos cínicos, restaria a frase “Melhor rir do que chorar”, mas não acredito que hoje, no Brasil, exista alguém que consiga dizer isso, por mais cínico que possa ser.

O Lava-Jato a pleno vapor e o presidente do Supremo se encontra com a presidente para… para… para… Para que, mesmo? Ora, foi um encontro casual, pura coincidência (Ah, que saudade do Joaquim!).

Pois é. A Grécia está lá, na pior dos piores; bom, pelo menos Tróia fica no seu território… Mas o povo brasileiro é que ganhou um presente de grego.

[1] blog.planalto.gov.br/assunto/bolsa-familia/ 17/06.

 

Deixe um comentário!