Cárcere Privado

Não, não pense que vou falar de prisões como se vê toda hora nos jornais, e de nada correlato – nem tornozeleira, e muito menos de lava-jato. Tanto já se falou sobre isso que o melhor agora é observar, prestar muita atenção e torcer para que não consigam destruir o melhor feito da Justiça Brasileira em todos os tempos..

Feito o esclarecimento, aviso logo que hoje vou falar para uma pessoa que me escreveu, e que, percebi, está presa. Não pela lava-jato, ou por agressão, por nenhuma dessas causas que lemos todos os dias nos jornais, ela está numa prisão diferente, a mais cruel de todas. Aquela que as pessoas impõem a si mesmas. Sim, impõem quando se fecham na mágoa, ou na dor, ou no ódio.

Bom, não sou nenhuma Polyana, sei que o mundo só é azul lá de onde o Armstrong o viu, e como não sou astronauta, posso assegurar que muitas vezes na vida já vi um mundinho nada azul.

E quem nunca passou por momentos difíceis, amargos, complicados, quem não teve dias que gostaríamos de deletar? Se alguém respondeu “Nunca”, mentiu, garanto que mentiu, ou está brincando de viver, não está vivendo à vera.

O que eu quero dizer é que os problemas sempre existiram e existirão na vida de cada um de nós, mas o que não devemos fazer é negá-los, ou fugir deles. Também não vou aqui ficar fazendo a apologia do “Ria de seus problemas”, como já vi uns & outros fazerem… Só um ser pouco pensante faria isto. Mas você me emocionou tanto, caro leitor, que vou lhe dizer de todo o meu coração “Lute, reúna forças na angústia, se fortaleça na reflexão e no amor, e olhe o problema nos olhos, sem medo, você vai se surpreender como a coragem vai indicar algum caminho”.

Pelo que pude ler, você não é uma mente estagnada, nem estreita. Ao contrário, me pareceu uma pessoa sensata e inteligente, sensível. Portanto, não se deixe levar por problema cuja solução não está ao seu alcance. Resolva o que pode resolver, quanto ao restante dos problemas, vá refletindo sobre eles, e aos poucos chegará a algum ponto de decisão – ou os resolve, ou deixa que se resolvam por si mesmos com o tempo, ou simplesmente se convença de que aquele problema não tem solução.

Existem problemas sem solução, aceite isto, não desperdice energia. E se concentre em outras situações que possa resolver.

Claro que nem tudo você pode abandonar e “deixar pra lá”, e na definição do que pode ser deixado de lado está a nossa competência para a vida: escolher onde vamos gastar nossa energia.

Devo dizer, caro leitor, que não costumo responder a questões que me colocam em virtude das minhas crônicas, mas a sua história realmente mobilizou minha emoção. Resolvi respondê-la através de outra crônica por um pedido seu. Segundo você, o que eu escrever vai servir para mais alguém.

Tudo bem, então para você, e para outros “vocês” que também precisam ler, eu termino desejando que não se deixem levar por problemas, não se fechem em si mesmos – vocês e seus problemas trancados numa cela escura e fria.

Abram as janelas da mente e da emoção, deixem a Luz entrar, porque qualquer luz, mesmo fraquinha, aparece na escuridão, e se estende pela alma afora.

Deixe um comentário!