Guerra nas Estrelas

Daniel tem quase quatro anos e sempre me surpreende com suas observações.

Ontem, deitado na areia e olhando o céu, disse: – Olha, vovó, um dragão. Ih, agora vem a bruxa…

Eu, claro, dei força à sua imaginação, fiquei estimulando para que ele seguisse adiante. E a coisa cresceu, virou uma luta entre heróis e vilões. Aliás, é impressionante como hoje em dia qualquer criança de dois anos sabe o que é vilão, mas isso é outra história e fica para outra vez.

À noite, pensava eu sobre como é necessário à criança ter convívio com a Natureza, as forças da Natureza, e poder estar ao ar livre.

Não, por favor, não me censure se acha o assunto clichê, mas é que pretendo fazer uma leitura sob ótica diferente, penso eu ou, pelo menos, é o que desejo.

Sim, porque quero mesmo é falar sobre Inovação Tecnológica, Geração de Ideias.

Quero compartilhar minha certeza de que, se alguém consegue viver num lugar ou tenha ao menos acesso a lugar em que veja a noite estrelada, ou nuvens de outra cor que não seja o cinza, esta pessoa terá mais facilidade de “idear”, ou seja, de gerar ideias. E o gerar ideias leva à criatividade, ao desenvolvimento de novas histórias, novos produtos, novas situações.

Isso mesmo… Estou pensando em EDUCAÇÃO.

Estou pensando em como é importante que os educadores saiam da caixinha e levem seus alunos à ideação. Estou pensando em como mães e pais, e avôs, e tios, e sei lá mais quem faça parte do cotidiano da criança podem fazer com que ela desenvolva sua capacidade de criar para, mais tarde, ter condições de ser um inovador.

É, porque a inovação tecnológica se democratizou com a Internet. Hoje as tecnologias complicadas ou as simples, estão ao dispor de qualquer um de nós que seja curioso o bastante para sair do lugar-comum de buscar a rede para fazer joguinhos, ler noticiário, ou acessar mídia social.

Os que viram as estrelas e viram nas nuvens um cenário para lutas entre heróis e vilões, estes certamente terão mais chances de criar suas próprias soluções, terão mais curiosidade para buscar a informação, mais coragem para decifrá-la, entendê-la, e mais ousadia para buscar soluções.

Sim, porque inovação tecnológica hoje não é só a invenção. É a identificação de recursos e o seu aproveitamento.

Quer ver? Apple, esse gigante tecnológico, inventou O QUÊ?

Baterias já existiam, telas já existiam, sistemas de armazenamento também. Mas praticamente criou uma nova tecnologia porque soube integrar as tecnologias disponíveis para criar novos produtos.

Ou seja, agora sim, usamos com propriedade o ditado “não precisamos reinventar a roda”.

Mesmo em Gestão, o negócio é ter condições de identificar o problema, saber onde está a informação que pode ajudar a resolver a situação e partir para a ação.

E mais: os realmente inovadores não ficam chorando a falta de recursos, usam os que estão disponíveis com um sorriso no rosto, para compensar a escassez usam sua criatividade, basta lembrar a empresas que hoje estão entre as maiores do mundo, foram criadas nos Estados Unidos, por universitários, na garagem da casa de seus pais.

E por que não choram os verdadeiros inovadores? Ah, porque sabem identificar problemas, escolher as melhores soluções, e buscar as parcerias que compensem a falta de dindin.

Eles sabem o valor de um dia, terem criado guerras nas estrelas entre heróis e vilões.

2 comentários

  • Denise Oliveira Peon disse:

    É verdade!Coisas surpreendentes encontramos por aí, fruto da imaginação e criatividade!

  • Márcia Oliveira Porto disse:

    É bom esse contato com essas criancas incríveis, aí a criatividade flui e surgem idéias maravilhosas!

Deixe um comentário!