MULHERES INCRÍVEIS

Conheci e conheço algumas mulheres incríveis.

Mulheres que, definitivamente, não vieram a passeio em nosso planeta. Mulheres que demonstram no seu dia a dia, que, diferente dos homens, realmente conseguem fazer mil coisas ao mesmo tempo, sem deixar a peteca cair. Cuidam da casa, dos filhos, do seu trabalho. Não afirmo isto por considerar que a mulher seja a salvação da lavoura terrestre. Vejo como absolutamente inútil e sem sentido a luta para ver quem fala mais alto, se é o homem ou a mulher. Igualdade é ser igual, e…, sinto muito que os homens não consigam fazer tudo ao mesmo tempo como fazem as mulheres.

Sem dúvida, esta minha fala é uma fala para os tempos em que vivemos, em que podemos com competência, persistência e coragem aproveitar oportunidades e mostrar nosso valor.

Uma destas mulheres que foi à luta sem ficar reclamando fazer parte de uma “minoria”, foi minha mãe que, lembro-me bem, também tinha sua lista de mulheres incríveis.

Foi ela que me contou sobre Hedy Lamarr. Não, não é do nosso tempo, exceto para os que conhecem a história do cinema, porque a citada senhora, que faleceu em 2000, aos 86 anos, foi uma famosíssima estrela de Hollywood, a quem o Google apresenta como a Angelina Jolie dos anos 30/ 40.

Para você ter uma ideia do poder da fama de Hedy, fique sabendo que ela foi a primeira atriz a encenar um orgasmo em primeiro plano, no filme Êxtase, filme polêmico que fez com que Hollywood se escandalizasse primeiro, mas depois se ajoelhasse diante do seu talento.

Só que sua maior contribuição ao mundo não foi certamente esta. Por mais espantoso que possa parecer, ela, em parceria com George Antheil, compositor, inventou uma técnica de encriptação.

A ideia surgiu quando eles ensaiavam um dueto e começaram a “conversar” entre si alterando os controles do piano. Ou seja, Lamarr descobriu que se o emissor e o receptor mudassem de frequência intermitentemente, poderiam comunicar-se sem serem interceptados.

Logo imaginaram que o sistema poderia ser utilizado para teleguiar torpedos contra os nazistas. Mas, quando apresentaram ao Governo dos Estados Unidos seu invento, ninguém os levou em consideração, “O que esses artistas pensam que estão fazendo, querem colocar um piano dentro de um torpedo?”, ou seja, em outras palavras o que eles ouviram foi um “Fala sério…”. E eles tinham cedido a patente às Forças Armadas dos Estados Unidos, não foi pouca coisa o que fizeram.

Enfim, o sistema ficou por lá, enfurnado numa daquelas gavetas bolorentas até 1962, e, quando a patente já havia expirado, o aparelho foi usado por tropas militares americanas em Cuba. Em 1963 a Ottawa Wireless Technology adquiriu 49% da patente e o sistema serviu de base para a criação da tecnologia de comunicação com as conexões CDMA (telefones celulares) e Wi-Fi.

Mas somente em 1997 a Electric Frontier Foundation premiou Lamarr por sua contribuição. E o governo dos Estados Unidos lhe concedeu menção honrosa “por abrir novos caminhos nas fronteiras da eletrônica”. Só rindo…

Pois é, de onde menos se espera é que…, pois Hedy ainda pesquisou e patenteou um aprimoramento para sistemas de semáforo.

Como Hedy tem outras invenções no campo da eletrônica, tudo leva a crer que ela compartilhou sua ideia com o músico e o incluiu na empreitada. Como sabia da importância do que estava propondo, deu a guarda a quem pudesse entender, no futuro, o que ela dizia.

Sabe, eu poderia ficar aqui falando sobre mil histórias de mulheres, não reconhecidas, mas resolvi divulgar uma história que, segundo minha mãe, poucos deram importância e que, além de uma enorme demonstração de talento, também expressa uma lição de confiança e por que não? De generosidade.

Ora, com essa história na mente, eu não ficaria repetindo o que todo mundo diz no Dia das Mulheres.

Afinal, sigo o que Hedy Lamarr disse, em uma de suas frases:

Todas as pessoas criativas querem fazer o inesperado.

1 Comment

  • Daisy disse:

    Sandra Loureiro >> Oba! Mais uma!Continue assim!!!!!O motivo é que há fãs e eu acho que sou a primeira…☺😘

    Aline Luz >> Obrigada querida, vc é uma delas!

    Adriana Medeiros >> Tb Amei! Minha avó e suas histórias incríveis!

Deixe um comentário!