Os primeiros passos dela e as primeiras braçadas dele

A Alê que gosta de ser mãe , a Alê do bom texto, a Alê que deve ter mil e uma noites sem dormir, e estreia hoje com seu primeiro texto publicado. Ah, Alê, quem sabe vem por aí mil e um textos como esse, escritos nas mil e uma noites que passou acordada, acalentando suas crias.

Daisy Lucas


por Alessandra Elias Monteiro, a Alê

Carta aos meus filhos em 15/10/2020:

Os primeiros passos dela e as primeiras braçadas dele.

Eles estão crescendo… e que rápido! E que lindos!

Ao se sentir segura, segurando um pedaço de maçã em cada mão, ela conseguiu três passinhos sozinha pela primeira vez… Partiu segurando do sofá e foi segurar no pufe (em frente).

Estávamos lá assistindo. Papai e mamãe, babando pela conquista da filha. Parabéns, minha linda, que esses pezinhos sigam caminhos incríveis! E que estejamos aqui para acompanhar cada nova passada. Vamos, que ainda temos muito chão pela frente. E sempre que preciso for, seguro sua mão e vou junto. Mas se estiver segura, vai sozinha que estarei no backstage torcendo, acolhendo e vibrando.

E ele…

Ao se sentir seguro, depois de muito treino, conversas de incentivo, malcriações de não querer ir e “gritos” de “coragem” pela tia, ele nadou. Atravessou a piscina sozinho pela primeira vez… Partiu segurando em uma borda e chegou segurando na oposta.

Uma emoção enorme encheu meu peito de orgulho e meus olhos de lágrimas. Lágrimas de amor.

De saber que minha pinguinha está desenvolvendo muito bem suas habilidades motoras, no iniciozinho da sua caminhada. Que seja alegre e linda!

De saber que meu pinguinho perereco já sabe se “defender” na piscina. E aí, preciso discorrer um pouco mais sobre o significado disso. Pra mim, q fui nadadora e “desbravadora” de mares, destemida nas praias, a sobrinha que “salvou” a tia no mar, o fato de meu filho não saber “se virar” dentro d’água era algo que incomodava bastante. Pronto, ele já sabe. E eu fico muito orgulhosa de ele ter vencido seu medo e sua insegurança. Meu amor, como disse a tia, “você foi sensacional”. Nem eu nem vc sabíamos q você já sabia nadar. Descobrimos juntos. Você nadando, dando suas braçadas, batendo suas pernas e fazendo suas bolhas dentro d’água, respirando quando foi necessário… e eu olhando, babando, filmando, compartilhando com o papai e com as avós, respirando fundo e chorando de emoção. No começo da aulinha você disse “mas eu não sei nadar”. Ao final, “eu tô cansado…” (de tanto que nadou!).

Filhos, qual o próximo desafio? Vamos que vamos, meus amores. Espero estar sempre ao lado de vocês. Desde seus medos e inseguranças até todas as conquistas e vitórias das suas vidas.

Junto com vocês. Sempre e para sempre.

De dentro do meu coração, com todo o amor do mundo.

Mamãe.

6 Comments

  • Márcia Oliveira Porto disse:

    Parabéns Alessandra,pela sua linda história!Apesar de nós mães, passarmos por esse desafios com nossos pequenos,essas lembranças são maravilhosas e emocionantes,continue compartilhando emoções!

    • Alessandra disse:

      Marcia, muito obrigada! Foi realmente emocionante pra mim e eu precisei registrar! Foi um transbordo 😍

  • Alessandra disse:

    Ahhhh Daisy, quanta gentileza e ternura de sua parte! Fico muito honrada e agradecida pelo convite desta publicação! Obrigada pelo incentivo ❤️

    • Daisy disse:

      Alê, acho ótimo compartilhar espaço com textos como esse, Eu é que agradeço.

      Daisy Lucas

  • Rose disse:

    Parabéns Ale, vc tem sido uma mãe muito paciente e amorosa, principalmente nesse momento de pandemia em que estamos muito estressados. Um dia vc me disse: ” mãe acho que o meu maior talento é o de ser mãe”. Só posso concordar com vc. “Maternar” foi uma grande descoberta , dentre outros, de seus talentos. Sinto muito orgulho te vc.😍

    • Alessandra disse:

      Corujice de mãe é hereditário?! Hahahaha l
      Tive bom exemplo, mãe! (Tive não, tenho!!🙏) ❤️

Deixe uma resposta para Daisy Cancelar resposta