誠 – Vivendo com Makoto

O título hoje está escrito em japonês.

Óbvio que já perceberam. E por que eu escreveria em japonês, se o meu idioma natal é um dos mais ricos do mundo, com um dos vocabulários mais volumosos, tendo palavras que nem encontramos em outro idioma, como a palavra “saudade”?

Bom, tenho que lhes confessar que aqui não é bem uma questão de semântica, ou de gramática, nem mesmo de etimologia. É uma questão de SENTIMENTO.

Um dia um professor me contou sobre o critério para diferenciar sentir “saudade” de “to miss”. Utilizando o mesmo critério que ele me ensinou, em que foi definido que “to miss” em Inglês não significa a mesma coisa do que “saudade”, porque saudade seria um sentimento significando “sentir falta” e não a ação de “sentir falta” como no Inglês, penso que “makoto“ não é simplesmente uma palavra que significa “sinceridade”, mas a própria ação de “ter sinceridade”.

A palavra Makoto, é adotada em várias religiões de origem japonesa e também nas Artes Marciais. Seu significado é “sinceridade com verdade interior”, e é um ensinamento nas Artes Marciais e em religiões, com o significado de falar não a partir da palavra ou do seu significado apenas, mas falar a partir do seu coração.

Ou seja, quem vive com makoto vive em consonância com o bater do seu coração, demonstra sinceridade na palavra porque existe conformidade entre palavra e ato.

Bem, agora acho que você já entendeu porque eu escolhi hoje uma palavra japonesa, tendo meu idioma aproximadamente 435 000 palavras, isto só o numero de verbetes do Aurélio online.

Isso mesmo foi por causa da tal da sinceridade.

Você quer época melhor para se falar disto do que hoje, quando se encerra um dos períodos de maior INSINCERIDADE em nosso país? Aliás, com este já serão 435 001 verbetes, pois este verbete não está lá.

Como todos nós vimos pessoas fazendo “joguinho” com suas convicções e a convicção dos outros, pessoas com falsas falas, falas que claramente não coincidem com suas atitudes, essas pessoas devem viver em angústia, pois não deve existir nada mais pesado do que você não poder expressar sua própria opinião e desejo. Deve ser um inferno…

Talvez por isso Confúcio tenha dito: “A sinceridade é o caminho do Paraíso”.

Eu penso em sua sabedoria – imaginemos como seria bom se as pessoas seguissem o que manda seus corações e suas mentes, mas sem ser refém de jogo falso dos interesses individuais, se focassem apenas no interesse do coletivo.

Ah, seria mesmo o Paraíso, mas o menininho da gravura que ilustra esta crônica nos diz qual é o problema…

2 comentários

  • Izabel disse:

    Caramba, Daisy! Que forma linda de expressar esses conflitos humanos e, justo agora, quando nossas emoções estão estranguladas! Adorei! Makoto! Essa é a palavra!! 👏🏼👏🏼👏🏼😘

Deixe um comentário!