Diário de viagens – Truffière de Péchalifour

Trufa – uma cara curiosidade.

Sim, para mim, cara em todos os sentidos – cara 💖 e … cara 💲 .

Muitos anos atrás meu marido fez um curso na Universidade de Rennes, na França. Ao final do curso fui encontrá-lo.

Estávamos num restaurante em Paris comemorando o Natal, quando senti perfume como nunca havia sentido antes, e vinha do prato que estava sendo servido na mesa ao lado. Eu queria comer aquele cheiro, se possível fosse misturar paladar e cheiro. Perguntei ao garçom o que era e ele me respondeu: trufa.

O pedido estava feito, mas olhamos novamente o cardápio, e estava lá – omelete trufada. Só que o prato custava o que tínhamos reservado para uns dois dias de alimentação. Não mudamos nosso pedido, o perfume não saiu da minha cabeça e acabei ganhando de presente daquele Natal o tal do prato com trufas. Se o perfume era delicioso, o gosto era o mesmo que, presumo, tenham as iguarias dos deuses. Desde então me interessei pelo assunto.

A trufa é um vegetal, tipo de cogumelo que nasce e fica escondido no solo, sem dar sinal de si – verdadeiro tesouro escondido que, se encontrado, é vendido ao preço que todo tesouro é vendido – caríssimo. Segundo Edouard, o preço pode chegar a 1000 US dólar o quilo. Para vocês terem uma ideia do que seria um quilo de trufas, a da foto pesou 10 g.

Nesta viagem que fiz em maio, num cruzeiro pelo rio Garonne na região de Bordeaux, tive oportunidade de visitar uma fazenda de trufas – a Truffière de Péchalifour,

Estas espécies ( raras) de orquídeas indicam a possibilidade de haver trufa no solo.

Carole e Edouard Aynaud, pessoas muito simpáticas e entusiasmadas pelo que fazem receberam o grupo em que eu estava e foi aí que matei minha curiosidade sobre como encontravam as trufas, já que não estão a descoberto, não podem ser vistas apenas olhando o solo.

Edouard faz um trabalho intermitente de divulgação da trufa, porque segundo ele, os jovens não mais se interessam pela coleta de trufa, que demanda muita paciência além do alto risco do negócio. Existem alguns indicadores de que o solo pode conter trufas, como, por exemplo, espécies de flores que só nascem onde existe trufa.

Os detalhes deste assunto interessante estão no clip que vocês podem ver a seguir. Não se preocupem com a mistura de idiomas que vão ouvir, no grupo tinha gente de muitos lugares, com a mesma curiosidade que eu tinha.

2 comentários

  • Denise Oliveira Peon disse:

    Achei muito interessante a “caçada à trufa”!Nesse passeio teve degustação???Achei tb muito bonito o nome:Truffiere de Pechalifour! Lindo!

  • Daisy disse:

    >>Regina Vimercati: Dayse, deve ter sido bem interessante o passeio. Bjs

    >>Irene Pamplona: Gostei de assistir!!!

    >>Heliane Fonseca: Muito interessante!!!!

Deixe um comentário!