Lambendo os Beiços

Quando estive na China, claro que estive naqueles lugares que todo turista faz questão de conhecer e na minha lista havia o lugar onde serviam, é claro, insetos. Sinceramente o local me pareceu mais um cenário, um atrativo para turista e não levei a história muito a sério.

Em maio de 2013, porém, a FAO, órgão da ONU para Alimentação, lançou um Relatório que afirmava que insetos poderiam acabar com a fome no mundo. Não tive e nem procurei acesso ao texto, até porque me pareceu uma daquelas historinhas de cunho político ou interesseiro. Só que, no mês passado, recebi um texto de um escritor – Marcel Dicke, e a divulgação de um livro seu, que continha receitas de pratos feitos com …insetos!

Como assim?

Isso mesmo.

Aí não aguentei, e fui pesquisar o tal do Marcel. Encontrei uma Palestra no YouTube em que ele canta em verso e prosa os benefícios da “delicacy”, quer dizer, uma espécie de petisco, como ele chama.

E tem argumentos bem interessantes – diz que para a Economia de qualquer país seria muito mais valioso que se comesse gafanhotos, grilos e assemelhados. Apresenta justificativas que vão desde o custo da criação ao uso inteligente da terra, porque, segundo ele, 10% das terras produtivas são estragadas com criação de gado. Portanto, além de melhor uso da terra diminuiria o desflorestamento e a poluição. Proclama que insetos contém Vitaminas A, B1, B2 e D, melhorando assim a qualidade da nossa nutrição.

Também seria mais econômico porque, enquanto existem apenas algumas centenas de mamíferos, existem seis milhões de espécies de insetos, poderíamos até variar mais o menu…

Segue dizendo que, se o assunto for biomassa, o planeta não teria sido feito para nós, e sim para os insetos porque eles são muito mais numerosos do que os humanos.

Incentiva que mudemos de paradigma, e passemos a ver o inseto como o único meio de acabar com a fome no mundo. E termina dizendo que temos que dar prosseguimento à cadeia alimentar – animais grandes comem animais pequenos e etc e tal.

Sinceramente só não caí no riso porque fome é assunto muito sério, está mais para choro do que para riso. Mas fiquei perplexa.

Segui pesquisando e descobri que na Holanda já existem fábricas, uma espécie de JBS, mal comparando, que usam inseto como matéria prima. Quando abri o Relatório da FAO quase caio da cadeira.

Em quase 200 páginas, a FAO afirma que aproximadamente se dois milhões de pessoas no mundo já suplementam sua alimentação com insetos, que os mesmos apresentam alta porcentagem de vitaminas e minerais, e trazem benéficos ao meio ambiente.

Bom, nessas alturas, eu… Ah, sabe o que mais? Não vou dizer o que eu pensei, caro leitor. Desta vez eu lanço um desafio:

Quero saber o que VOCÊ pensa sobre isso.

Você lamberia os beiços para esses petiscos?

2 comentários

Deixe um comentário!