Silêncio…

Andei afastada por um tempo.

Afastada das crônicas, bastante afastada do convívio social, mergulhada em pensamentos, reflexões, preocupações. Sim, houve uma razão, minha mãe muito doente, e a sensação de impotência diante do fato – a Vida é efêmera, todos nós temos prazo de validade.

Uma constatação tão óbvia, mas tão dolorida, especialmente quando provocada por alguém a quem amamos. Inevitável num momento deste refletir sobre o sentido da vida, e o que fazer para que sejamos dignos de dádiva tão valiosa quanto o acordar a cada dia, ver a luz do sol ou as gotas de chuva, merecer um sorriso, amar, e ter alguém que nos ame.

Não faz meu gênero escrever texto lacrimejante, mas desta vez…Confesso, meus amigos, passei, e pela primeira vez, um tempo de estio – as palavras não me vinham, ou se vinham não combinavam umas com as outras…

Os pais, para mim, são nossa raiz e é muito difícil sentir que estão aos poucos se despedindo da vida. Muito complicado saber que brevemente serão apenas lembrança.

Daí, só me restou o silêncio.

Não um silêncio de lamento, mas um silêncio para fazer contato comigo mesma, e com o tanto que tenho aprendido com minha mãe: a sua garra, sua coragem ao se impor diante das dificuldades, a sua firmeza de caráter. Um silêncio que me permitiu ouvir meus pensamentos, e chegar à minha essência.

Um silêncio no qual não cabem coisas pequenas nem supérfluas, um silenciar de vozes outras que não a da minha própria consciência.

Asseguro a vocês, saí fortalecida. E tanto, que afirmo com toda convicção: permitam-se ouvir o silêncio com atenção, porque muitas vezes nele está o caminho para a sabedoria, para a sua paz interior.

Neste nosso tempo de correrias, de trabalho, em que se corre de um lado a outro sem saber bem o porquê de tanta pressa, é bom parar um pouquinho, reservar uma horinha que seja para ouvir o barulho da chuva, o som do riso, e dos próprios pensamentos.

Se conseguir fazer isto, vai perceber como se amplia a sua percepção do mundo, a sua sensibilidade, e vai constatar quanta transformação é capaz de fazer em sua vida.

Quase posso garantir que vai concluir como eu – No silêncio pode estar o maior barulho do mundo.

Deixe um comentário!