Até quando?

A Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou em 20 de novembro de 1959 a Declaração dos Direitos da Criança e, por essa razão, instituiu o Dia Universal da criança em 20 de novembro.

Só que não! Muitos países comemoram o dia em junho, alguns em novembro, e nós em 12 de outubro… (será que para “aproveitar” o feriado de Nossa Senhora?)

Ou seja, a divergência já começa pelo nome, a criança está sempre na carona de alguma coisa ou fato “mais importante” do que ela. Essa parece ser a triste realidade, não só brasileira, mas mundo afora.

De minha parte vou comemorar com minhas crianças – privilegiadas porque tem casa para morar, roupa para vestir, comida para comer. A comemoração? Toneladas de carinho, e respeito, que não vejo com frequência terem com os pequeninos.

E vou rezar. Rezar muito para que nunca mais veja imagens como as que estão aqui hoje – nem na Índia, nem no Brasil, em lugar nenhum. Porque criança não tem pátria, a pátria das crianças deveria ser o coração de seus pais, de seus professores, de seus vizinhos, de seus amigos… da aldeia, enfim. Como fazem os índios, todos são responsáveis pelo que acontece com as crianças da aldeia.

Olhe o menino da foto nos olhos, pergunte-se até quando veremos o olhar raivoso da criança que não tem vez em fila nenhuma, e aproveite para avaliar o que você tem feito pelas crianças da sua “aldeia” além de comprar bala no sinal.

#eu ainda uso máscara, e você?

Deixe um comentário!