Loucos ou Sábios

A tal da Covid é tão contemporânea que não tem definição de gênero – ora ouço o Covid, ora ouço a Covid, acho que foi o traço que a pandemia escolheu para marcar sua “atualidade”. Mas a praga atual se “inspirou” em tempos idos, medievais, infelizmente reproduzindo em muitos aspectos a peste negra, deixando tanta gente pelo caminho.

Esta ideia me veio quando vi essa imagem da Mona Lisa. Pensei: o quadro foi pintado depois da peste negra, mas está aí, e dessa vez alguém resolveu atualizá-lo para os tempos atuais.

Mas a atualização em outros campos não foi tão simples quanto colocar uma máscara. Afinal, a peste negra aconteceu entre 1346 e 1352.

Vejam só que diferença entre uma época e outra.

A diferença entre a tecnologia, a Ciência, os hábitos de higiene, os hábitos sociais… diferença tão grande que a princípio seria impossível a repetição de uma história trágica como a que a humanidade vive novamente. O número de mortos é menor hoje, mas… de qualquer forma, com todo conhecimento científico, com todas as possibilidades de informação, com toda a pompa e circunstância do Terceiro Milênio, cá estamos nós, reféns de uma circunstância tão horrível como essa.

Sim, mesmo com tanto desenvolvimento da ciência o mundo entrou em colapso.

E lembrei-me de Edgar Morin, filósofo francês que no dia 8 deste mês completou 100 anos. Para mim, Morin é quem tem as ideias mais brilhantes e avançadas sobre o que seria uma Educação que forme pessoas para produzirem a própria felicidade.

Ele faz a crítica ao que diz que a busca da ordem sempre foi o interesse principal da ciência. E que, como no caso atual, quando se desconhece como algo funciona, o caos se instala e as sociedades entram em crise.

Para ele, temos que apender a conviver com a incerteza, mas para isto é preciso ter coragem. Coragem para enfrentar e resistir ao negativo que se apresentar na vida, não ficar de braços cruzados esperando o negativo desaparecer, mas definir estratégias para o enfrentamento, e para conseguir enxergar a oportunidade na crise, porque na crise muitas pessoas perdem a cabeça, mas outras tornam-se mais lúcidas.

Loucos ou sábios… será que podemos escolher?

# Bom, com relação à máscara, melhor escolher a sabedoria, porque mesmo assim…
# a palavra é paciência

2 Comments

  • Maria Penha Silva disse:

    Somos todos iguais…o Covid a Covid , masculino e feminino. Chega de preconceito!

  • Sônia R.Pinheiro disse:

    Realmente, é na crise, nas incertezas da Vida que precisamos nos reeinvertar. Quando está ” tudo bem” a tendência, quasr sempre, é a acomodação. A sabedoria, o bom senso unidos à inteligência , inclusive a inteligência emocional, serão imprescindíveis no processo.

Deixe um comentário!