Dobra, mas Não Quebra

Uma planta que sempre me fascina é o bambu, posso também dizer que me intriga.

Aparentemente frágil, mesmo quando seus galhos ainda são finos, ele resiste.

Ainda me lembro, em criança, assistindo um forte vendaval, eu focava no bambuzal, imaginando de onde ele tirava sua força. Seus galhos fininhos e ocos, não me davam a menor ideia de como conseguia vencer a fúria do vento, enquanto árvores mais fortes, de troncos grossos, eram derrubadas.

Com o passar do tempo e aprofundando meu contato com a cultura oriental vim a conhecer as Lições do Bambu que são tão divulgadas na China e Japão.

Segundo eles, são sete lições, e selecionei algumas.

a fragilidade do bambu é aparente.

A sua também pode ser, mas para você ter certeza disto vai ter que tentar, vai ter que enfrentar os dias de turbulência, mesmo pensando que o Universo conspira contra você. Então, não se subestime. Pode ser que aí dentro de você exista alguém muito mais forte do que você pensa, alguém que

não se deixa derrotar pelas adversidades.

E luta, luta a cada dia para ser melhor do que tem sido. Não luta com raiva, luta com Gratidão pelo novo dia, Gratidão pela Vida.

busca a sabedoria no vazio.

Observe, o tronco do bambu é oco. E mostra que não devemos encher nosso pensamento com conclusões apressadas, sem deixar espaço para que venha o novo. A sabedoria vem sempre acompanhada da humildade, a pessoa verdadeiramente sábia sabe que nada sabe, e que na Vida o importante é conhecer o “por que” das coisas, para não repetir os mesmos erros, e fazer diferente da próxima vez.

com a sabedoria vem a simplicidade

O bambu não tem copa frondosa, galhos enormes. Como na vida, o importante não é parecermos maior do que realmente somos, mas ter o tamanho exato do que conseguimos ser. Os galhos enormes também simbolizam o apego a coisas desnecessárias e inúteis que se acumula ao longo da vida, impedindo a aeração, a entrada de ar novo, e ocupam um espaço que poderia estar sendo ocupado por novas conquistas.

com a simplicidade, vem a realidade.

E com a realidade, vem a possibilidade de traçar metas realísticas para a sua vida, metas que vão levar você na direção da maré, e não obrigar a nadar contra a maré.

O bambu não resiste ao vento, e assim nós podemos ser, se levarmos a vida com tolerância, leveza e gratidão, compreendendo quando temos que compreender, divergindo quando temos que divergir, perdoando quando temos que perdoar e pedindo perdão quando precisamos ser perdoados.

Ah, e a última lição do bambu:

está sempre em bando, nunca você vai encontrar um bambu fora do seu bambuzal.

É ISSO.

1 Comment

Deixe um comentário!