Elegância

A imagem acima é do Homem Vitruviano, um desenho de Leonardo da Vinci mostrando o corpo humano a partir de proporções ideais.

Pois é, desde o século XV havia a preocupação do ser humano pela forma ideal. O interessante é que ao passar do tempo, essa forma ideal muda de configuração. Houve épocas em que pessoas mais gordinhas eram consideradas protótipo de beleza, e épocas em que a magreza deu o tom.

Atualmente, com a informação e a liberalidade vigente, as pessoas estão tendo maiores condições de se libertarem da escravidão ao corpo, ser mais gorda ou mais magra já não me parece tão determinante para aceitação social.

Afinal, a falta ou o excesso de gordura corporal parece estar chegando ao que sempre deveria ter sido: indicador de saúde, e nunca indicador do ideal clássico de beleza.

Portanto, olho na balança, amigos, com o objetivo de melhorar sua saúde cada dia mais. De resto, lembrar que elegância é muito mais atitude do que gordurinha a mais ou a menos. Sempre é tempo de mudar, de ter maior elegância no trato das pessoas. Não foi por acaso que escolhi uma das imagens símbolo do Renascimento, movimento cultural que, como a própria palavra demonstra, promoveu o renascer cultural. Promova o seu próprio renascer, a vida está aí do seu lado, esperando que você, com elegância e delicadeza, a chame para olhar o nascer do sol.

Deixe um comentário!