Mãe? Avó? Sempre Mãe

Nunca esquecerei das vezes em que vi pela primeira vez, minhas “criaturas”. Realmente, foram momentos inesquecíveis, sublimes mesmo. Meus filhos… pequeninos sonhos em forma de gente, com seu primeiro chorinho que era música celestial para meus ouvidos e sua carinha amassada, que eu olhava e via a mais pura beleza.

Tão sublimes que fiquei eu pensando: jamais terei emoção da mesma intensidade. Mas eu não sabia de nada…. Porque, se ser mãe é sublime, ser avó é divino.

Ver a cria da sua cria nascendo, crescendo, e virando “gente”… é qualquer coisa de inimaginável.

Dizem que ser avó é ser mãe com açúcar, pode ser. Porque à avó geralmente cabe a parte “doce’. Pelo menos no meu caso a rotina não desgasta a relação, não diminui o impacto da presença, e sinto a alegria dos meus netos sempre que nos encontramos.

E as brincadeiras? Bom, tenho 8 (oito mesmo) netos. E quando eram menores eu os reunia aqui em casa pelo menos uma vez a cada dois meses. Fazíamos o que chamávamos de “Acampaneto”. Não escrevi errado não, gente. Era ACAMPA NETO!

O grande barato deles era que – como geralmente os acampanetos ocorriam em fins de semana, decretávamos que só iriam dormir quando estivessem com sono – “qualquer hora é hora”, dizia eu. O mais engraçado era ver o esforço que faziam para ver quem aguentava mais… os olhinhos já tortinhos de sono e eles ainda querendo brincar, ou ver um filme.

As brincadeiras muitas vezes eram a própria atividade da casa – eles adoravam ajudar na cozinha, na arrumação das camas, e cada um tinha sua função. Às vezes saía uma briguinha, como por exemplo, quando os menores chiavam porque na cozinha só lhes era dada a tarefa de lavar a louça ou de cortar alface – com as mãos, é claro. Eram atividades seguras, adequadas à sua idade, mas a distribuição das tarefas sempre gerava confusão.

Tantas recordações, tanta “obra de arte” desenhada às vezes na parede da varanda que por ser lavável recebeu toneladas de tinta guache…

E os bilhetes? Todos guardadinhos aqui no meu coração. Mas resolvi compartilhar este com vocês, numa Homenagem às Avós, e também para que as mães saibam que ser mãe duas vezes é tudodebom.

Feliz Dia das Mães.

# FIQUEM EM CASA
# SE PRECISAREM TRABALHAR PROTEJAM-SE, COMO MANDA O FIGURINO
# CUIDEM-SE.

8 Comments

  • João Gabriel Sales disse:

    Muito Bonita a crônica vó, amei lembrar do acampaneto.Te amo!Bjs E se você ama ter a gente como netos a gente ama em dobro ter você como vó !

  • Daisy disse:

    Eurídice Perdigão:
    >> Minha linda! Quero te desejar um Feliz Dia das Mães!🌺🙏🏻
    Acabei de ler a sua postagem Mãe? Avó…, como amo estar pertinho de vc e poder compartilhar textos e coversas tão fantásticos. Obrigada!🥰

    Sonia Sanches:
    >> Muito lindo seu texto! Eu me emocionei!
    Tenha um domingo de amor e tranquilidade, por saber que cumpriu seu verdadeiro papel na vida! 🤩🤩

    Sheyla Ludolf Bandeira de Mello:
    >> Que linnndo…
    FELIZ DIA..AMANHÃ PRA TODAS MÃES E VÓS..
    EXTENSIVOS À BISA NO CÉU

    Helena De Cassia Rego:
    >> Daisy, lindo o texto, parabéns! Seus netos, filhos e amigos , temos a sorte de conviver com você. Bjs minha querida!

  • Marina Medeiros disse:

    Amei demais a crônica vo! Saudades dos nossos momentos. Ter você como vó é impagável!

  • Daisy disse:

    Bernardo Lucas:
    >> Oi vó
    Suadades dos acampanetos
    Mesmo eu sempre querendo dormir rsrsrs
    Li sua crônica ontem
    Muito bonita.

    • Daisy disse:

      Meu querido Primeiro Neto (rs) , falar de vocês é garantia que o texto vai sair legal porque … porque… ora, é o Amor ! Bjinho

  • Daisy disse:

    Tiago Lucas:
    >> Oi, vó! Acabei de ler a sua crônica da semana, muito linda e emocionante. Te amamos! Muito obrigado por ser essa avó maravilhosa e sempre presente. Bjs!!

    • Daisy disse:

      A emoção não está no texto, meu queridinho. Vocês são pura emoção, um carinho do tamanho do Universo. Bjinho

Deixe um comentário!