Ouvindo o chirriar

A coruja é tida como símbolo da sabedoria e do conhecimento. Mas o bicho é tão feinho e esquisito que inspirou uma superstição:  o ouvir do seu chirriar (piado de coruja) é um sinal de alerta do mundo espiritual, um aviso de mudanças, que podem vir para o bem ou para o mal. Mudança…

 “Nada é permanente, exceto a mudança”.

Não, não sou eu que afirma isso, observe as aspas… quer saber quem disse? 

Simplesmente Heráclito, que viveu no período entre 540 a.C. e 470 a.C., vale dar uma pesquisada no cidadão, porque ele foi muito importante, considerado o Pai da Dialética, a arte do diálogo, da discussão que busca um resultado. 

Pobre Heráclito, se visse e ouvisse o que vemos e ouvimos hoje, em que não se sabe mais o que é fake ou verdadeiro, e em que as pessoas esperam que as mudanças aconteçam a partir da mudança do outro, todo mundo querendo ficar sentadinho na sua zona de conforto aguardando que o outro mude… 

É, pode-se dizer que a dialética foi para o brejo, e em consequência disso, a mudança boa, aquela realmente transformadora, que traz benefícios para a maioria, está afogada no mesmo brejo, é cada um por si.

O assunto Mudança é interessante quando trata da impermanência dos nossos desejos, da necessidade de buscarmos o diferente, o seguinte, o amanhã. Esse me parece ser um dos problemas da atualidade – que as pessoas possam exercer o seu legitimo direito de desejar o que realmente desejam, e não o que os outros querem que se deseje. E que cada um de nós lembre as palavras de Gandhi:

Se eu quero mudar o mundo, tenho que começar por mim.

Deixe um comentário!