Livre Arbítrio

Sinto-me mais feliz em ser eu mesmo e deixar os outros serem eles mesmos (Carl Rogers)

Quem se propõe a fazer da escrita um oficio, tem que (minimamente) observar a vida e as pessoas. Não ousaria sair escrevendo ao acaso, sem refletir sobre o que digo e o que faço.

Muito constantemente minhas reflexões me levam a rever leituras antigas, a revisitar conceitos, mesmo que não estejam mais “na moda”.

Foi aí que cheguei a Carl Rogers, psicólogo que contestou toda a teoria que celebrava a neurose como fator quase “obrigatório” a estar presente na vida das pessoas. Rogers criou a Abordagem Centrada na Pessoa, que, em resumo, reconhece ter o ser humano recursos poderosos, para alterar atitudes e comportamento, desde que desenvolva a possibilidade de decidir e fazer escolhas baseadas em sua vontade própria, livre de condicionamentos.

Claro que Rogers não foi tão simplista assim, sempre há de existir o fator social, mas sua pesquisa obedeceu a um minucioso processo de investigação cientifica, que concluía que o núcleo básico da personalidade do ser humano tende à saúde e ao bem-estar.

E foi tão importante à sua época que a teoria foi denominada de Terceira Força da Psicologia, representando mesmo uma Libertação dos conceitos que prendiam as pessoas a mínimas possiblidades de exercer sua independência e descobrir seu poder interior.

Realmente, é preciso pensar. Pleno Terceiro Milênio, e o que se vê é exatamente o contrário do que Rogers consagrou no passado. Hoje vejo pessoas que não sustentam suas opiniões com medo, puro medo, de serem canceladas.

Bom, acredito que todos sabem o que é a pessoa ser cancelada. Mas para que fique bem claro, vamos lá.

Cancelamento é, nada mais, nada menos, ser cortado de relacionamentos, ou de mídia social, enfim… essas pessoas que não se manifestam por medo do cancelamento… pobres pessoas, deviam aprender com os artrópodes. Os artrópodes passam por um processo que se chama ecdise, no qual trocam de exoesqueleto. No popular, poderíamos dizer que exoesqueleto seria uma espécie de pele.

Pois bem: artrópode troca o exoesqueleto por um maior, para que sua pele consiga aguentar o crescimento. Sim, trocam de pele, porque a antiga era, digamos, para um corpo menos robusto, menor.

As pessoas que, por medo do cancelamento omitem suas opiniões e pontos-de-vista, não estão preparando o próprio crescimento. Ao contrário, estão se encolhendo.

Pena, os tempos deviam ser mais modernos.

E aí, eu volto ao velho Rogers: “Sinto-me mais feliz em ser eu mesmo e deixar os outros serem eles mesmos”.

Deixe um comentário!