Perdeu o sentido

Existem algumas expressões e frases que se desgastam ao longo do tempo. Umas por serem ditas em excesso, outras por mau uso mesmo.

“Sinto muito” é uma delas… a pessoa diz com a boca, mas seu rosto muitas vezes não confirma, e mostra apenas o cumprimento de um ritual.

“Meus pêsames”, “Que horror”, poderíamos descobrir muitas outras, mas me deparei com uma expressão, e o pesar foi tão grande em admitir que tenha perdido o sentido, que vou parar por aqui. Ah, você quer saber qual é a expressão que me fez desisir da busca?

Eu digo: a expressão é “Eu te amo”.

Pobrezinha, virou tipo um “OI”, um “ALÔ”, “E AÍ?” . Um cumprimento, nada mais.

Claro (e felizmente) que existem exceções, mas o que se vê de pessoas que dizem eu te amo garbosamente e no momento seguinte fazem uma tal manifestação de desamor, que você fica pensando que não ouviu direito o que fora falado antes.

EU TE AMO… devia ser levado tão a sério, que precisaríamos refletir antes de pronunciar, deveríamos juntar as mãos, como que em oração, para dizer isto. Eu poderia dizer que deveríamos mesmo lavar a boca antes de pronunciá-la, mas prefiro dizer lavar a alma, para que se possa perceber exatamente o que é o AMOR. Para que se possa ter consciência do tanto de renúncia, de solidariedade, de resiliência, e de humanidade que se precisa ter para dizer EU TE AMO com propriedade.