2021 – O Renascer

Zuenir, professor inesquecível, escreveu um livro também inesquecível. Entretanto, o livro marcou um tempo que gostaríamos de esquecer. O nome do livro, caso vocês não recordem é “1968, o ano que não terminou”.

Lembro-me disso agora, preparando minha crônica de encerramento de ano, e me veio logo um sentimento de incompletude, e a natural comparação com o título de Zuenir.

Dizem que aqui no Brasil o ano só começa após o Carnaval, não é? Pois bem…. Então, caros leitores, 2020 teve um começo que não foi início, foi o fim. O fim de esperanças, o fim de vidas, o fim de muitos relacionamentos, fim de tanta coisa, só ainda não teve fim essa praga de Pandemia.

Para mim foi pior do que 1968. E por simples razões: contra o Poder, o arbítrio, podemos lutar, denunciar, gritar, pintar e bordar. Agora, o que fazer quando o inimigo é um vírus, que a própria Ciência não conhece e que, por essa razão, a princípio nem soube para onde ir?

Estamos num momento em que cada um deve buscar seu próprio caminho.

Estamos num momento em que pensar em si deve tomar a dimensão de pensar o outro, pois estamos “juntos e misturados” como costumam alguns dizer. E aproveitar para, já que não poderemos estar na multidão estourando champanhes e vendo fogos de artifícios, deixar que exploda em nosso coração todo o amor, toda a Gratidão e todo respeito à Vida.

Que sejam esses os fogos do Réveillon de 2021.

Que sejam as batidas dos nossos corações os barulhos que nos levem a festejar e a refletir no que podemos fazer para sermos melhores no próximo ano.

Desejo-lhes um 2021 Feliz, com Saúde, Paz e Harmonia na sua vida.

E aproveito para celebrar e agradecer as parcerias que tive nesse ano.

Agradecer ao Caetano da GQP, responsável pela belezura que fica o meu site, agradecer ao Celso e a Juliana, da Editora Itapuca, pelo cuidado e carinho que tem com seus escritores.

No mais, agradecer à Vida, que me presenteou com meus queridos filhos, e netos, e agregados. Vida que me colocou próximo a pessoas maravilhosas a quem chamo de amigos.

Muito a celebrar. Apesar de …

Sim, esse 2020 não vai terminar tão cedo, simplesmente porque sequer começou.

Foi-se a era do sonho e quem ainda não “caiu na real” vai certamente “cair do cavalo”.

Mesmo assim, desejo firmemente que em 2021 aconteça um RENASCER de esperanças, de respeito ao próximo, de amor à vida e…

…VIVA 2021!

# máscara, cuidado consigo e com os outros.

2 Comments

  • Ruth De Lemos Saldanha disse:

    Bela e verdadeira crônica!!!
    Parabéns querida!!!

  • Elizabeth Hinden D'Elia disse:

    Lindo texto! Realmente 2020 vai ficar para a história. Mas são pessoas com essa sua capacidade incrível de expressar o que pensamos e sentimos que fizeram a differença 2020. São palavras assim que mudam nossas vidas e nos ajudam a fazer a diferença na vida dos nossos queridos, nos tornando mais resilientes, compreensíveis e amaveis.

Deixe um comentário!