A Páscoa em Tempos de… PÁSCOA!

Mesmo com máscara, Feliz Páscoa.

Mesmo com distância, Feliz Páscoa.

Feliz Páscoa, mesmo, você terá se conseguir lembrar qual é o simbolismo e o significado deste evento religioso mundialmente festejado pelos cristãos.

Recuso-me terminantemente a deixar de fazer minhas comemorações por causa deste praguento do qual não repito o nome.

Isso mesmo. Para mim, Páscoa é Páscoa – com máscara ou sem máscara, com vírus ou sem vírus.

Se alguém aí estiver pensando que a Páscoa é uma festa religiosa celebrada apenas pelos cristãos, como são, por exemplo, o Eid al-Adha para os muçulmanos, e o Pessach, para os judeus, se enganou. Na verdade, é um evento que acontece em todo mundo.

Para você ter uma ideia, Nikolai Gogól o famoso escritor e dramaturgo russo, escreveu que todos deveriam celebrar a Páscoa como se faz na Rússia, com foco na superação da morte, como que incentivando as pessoas a uma revisão do que tem feito, talvez, penso eu, numa espécie de preparação para o renascer.

Na Rússia, os Ortodoxos no sábado à meia-noite fazem missa, com procissão e tudo. Disse Gogól, que no Ocidente a grande festa é o Natal, festa de dar presentes, e não de celebrar o Renascer.

Faz sentido, Gogol, até que faz sentido. Por que? Porque o domingo de Páscoa também é chamado de Domingo da Ressurreição.

Ovos de Páscoa na Rússia
Ovos de Páscoa na Rússia

A Páscoa é a mais antiga festa religiosa cristã. Não é à toa que o animal – símbolo é o coelho. Este animal representa a Fertilidade e a Esperança num novo tempo, numa nova vida. Para melhorar a simbologia, distribui-se ovos na Páscoa. Ovos… Já entendeu ou quer que eu desenhe? Pois é, o ovo é símbolo de nascimento; de uma forma ou de outra, quase todos os entes já foram ovo um dia.

Na verdade, a comemoração da Páscoa é preparada com muita antecedência, e com vários rituais e orientações como não comer carne, recolher-se em silêncio e oração na sexta-feira, chamada de Sexta-Feira Santa.

Apesar de não ser católica, tenho muito presente a lembrança da semana da Páscoa na casa de meus avós. A sexta-feira, como já disse, era dia de oração e recolhimento, era recomendado não falar alto, não se podia cantar – disso eu não gostava. Mas adorava que ninguém pudesse trabalhar, assim eu não precisava ajudar nas tarefas diárias.

Quem tem guardadas lembranças de procurar pela casa ovinhos de Páscoa sabe da magia que essa semana tinha para as crianças.

Não queria falar dos tempos de hoje, está mais interessante falar de passado do que de hoje em dia, mas, como também dizia Gogól, “A única coisa que vale a pena é fixar o olhar no presente. O futuro, chegará sozinho, inesperadamente”.

Espero que tenhamos todos uma Feliz Páscoa, e que dentro de cada ovinho de Páscoa encontremos Saúde, Esperança e Carinho, porque o nosso animal símbolo – o COELHO, não é hospedeiro de praga nenhuma.

Cuidem-se, fiquem bem.

2 Comments

Deixe um comentário!