Bom Natal Todo Dia

Não conheci uma pessoa sequer que não tenha, em criança, acreditado em Papai Noel, mas conheço várias que desacreditaram do bom velhinho logo nos primeiros anos da infância.

Fico eu lembrando o tamanho do desapontamento quando descobri que era tudo uma grande mentira, a primeira grande mentira que a vida nos prega. Não, acho que me expressei mal, a vida não prega peças nem mentiras, o mundo, esse sim, é que muito frequentemente faz isso.

E o que fazemos para nos livrar da decepção?

Bom, posso falar por mim, tratei logo de descobrir algo ou alguém que me desse a mesma satisfação, alguém em que eu poderia confiar sem a menor dúvida, sem o menor engano.

Tinha eu cinco anos.

As primeiras figuras, naturalmente, foram meus pais, e depois, os avós. Me servia de consolo pensar: “Ah, esse velhinho todo barbudo que eu nem conheço não era mesmo uma pessoa que eu gostaria de gostar”.

Felizmente não me detive no jogo emocional de ficar tentando resolver uma frustração através de outra coisa, ou de alguma pessoa. Mas é isto que acontece muitas vezes, e comprova como é grave e importante dizer-se a verdade para a criança, desde que ela descubra qual é a realidade e qual é o mito nos jogos infantis.

Então, o que fazer com os mitos infantis, especialmente com o tal Papai Noel?

Negar-se a existência de Papai Noel a uma criança de até quatro ou cinco anos deve ser bem difícil, imagino eu. A escola, a igreja, o clube, a vizinhança, os amigos, a família, a mídia… todo mundo invoca a figura do velhinho, seria quase crueldade negá-la num primeiro momento. Agora, descoberta a “farsa”, por favor, não insista. Leve pelo caminho do humor, conto como nasceu a história e ganhará a confiança daquela criança.

Se quiser, quando vier a pergunta responda: “É mesmo, esta é mais uma história que se conta às crianças”. E mostre à criança quem será, ao longo da vida, o Papai Noel dela.

Não, não estou sugerindo que você se candidate a resolver frustração. Minha sugestão é que, com o passar do tempo, vá mostrando à criança que o verdadeiro Papai Noel está dentro de nós mesmos, em nossa consciência, em nossas atitudes, no que realizamos pelos outros e por nós mesmos.

Aí não tem erro. Pois é, o seu melhor Papai Noel é você mesmo e quando aceitar isto, seu presente virá sempre embrulhado em papel bonito, e as luzes de Natal brilharão para você a cada nascer do Sol.

BOM NATAL TODO DIA PARA VOCÊ.

1 Comment

  • Daisy disse:

    >> Ruth Saldanha: Você escreve divinamente!!! Bom Natal!!

    >> Marilene: Muito bom. Parabéns. ❤💋

    >> Maria Teresa Rozeira: Que bonito, Daisy. Esse texto parecer ter saido bem do teu coraçao. Bjos

    >> Éliane Tavares: Ao ler a sua crônica,lembrei_me, imediatamente,como descobri a verdadeira história. Um grande beijo.

Deixe um comentário!