GPS – O Segredo

Tenho pena de quem não tem amigos.

Aí você pode argumentar…Todas as pessoas têm amigos.

Eu lhe respondo com toda a minha convicção: Engano seu, preste bem atenção, eu disse “amigos” e não conhecidos.

É, amigos sim, aquelas pessoas a quem você pode revelar seus mais obscuros desejos, até mesmo confessar as besteirinhas que faz sem temer perder a amizade. Pessoas a quem você dá o direito de puxar suas orelhas de vez em quando. Pessoas que tem o poder de, mesmo à distância, matar sua solidão, porque trazem boas lembranças e boas lembranças também são companhias.

Amigos se preocupam com você, e você lhes dá o troco em moedas não de ouro, mas em moedas de amor. Nessa época de distanciamento e insegurança, eu poderia dizer que amigos são quase um “remédio”.

Estava ontem numa live, que ultimamente é o jeito mais saudável de amigos se reunirem sem entrar em risco de se contaminar com essa coisa que eu nem digo o nome pra ver se ela se manda logo.

Enfim, o mais bacana é que cada grupo tem sua característica, e o grupo com quem me encontrei ontem resolveu na reunião do mês de setembro, que jantaríamos juntos.

O menu foi coletivo – penne à parisiense.

Homens e mulheres do grupo sabiam fazer, foi a receita mais simples que encontramos. Claro, mais simples sem desmerecer a pompa e circunstância do momento. Afinal para um jantar chic não faríamos uma receita qualquer.

A diversão começou desde a troca de receitas… havia quem não soubesse qual a diferença entre ervilha e petit pois (você sabe?).

– Esnobismo – disse um dos participantes – fala logo er-vi-lhaaa!

– Mas se eu disser ervilha você vai à feira, compra ervilha, nem vai descascar e taca no molho…

– E ervilha se descasca?

Pronto! Assim foi lançada a primeira polêmica. Para encurtar a história, devo dizer que foi necessário alguém correr à própria despensa, mostrar o que seria petit pois e só então fez-se a “paz”. Entre risos e galhofas, é claro.

Esta foi a primeira discussão, a segunda foi o que seria a entrada, mas logo foi resolvida porque o grupo abriga uns “preguiçosos” que malandramente defenderam que salada verde é a única entrada possível rs.

Bebida? Ih, outra discussão…, afinal resolvida com Aperol antes e durante a refeição, e um vinho Sauternes para a sobremesa.

Sobremesa? Ah, resolvermos que cada um faria a sua, e seria escolhida a melhor dentre todas.

Bom, devo dizer que foram algumas boas horas de puro prazer e de alegria, tempo em que reforcei minha tese de que amigos são referência, e que nunca estará em estado de solidão quem tiver pelo menos um, 1 amigo verdadeiro.

E fico eu de cá pensando o que fizemos para manter nossa amizade de mais de vinte anos.

Encontrei a resposta, que compartilho com você: para cultivar e manter nossa amizade nunca faltou Gratidãoà Vida e à pessoa que nos devota amizade.

Persistênciasabe a história da plantinha? Pois é…. de amizades também temos que cuidar, regando com nossa atenção e carinho.

Solidariedade – participando das alegrias, preocupações e tristezas dos amigos.

Ih! Isso. GPS – GRATIDÃO, PERSISTÊNCIA E SOLIDARIEDADE, eis o nosso segredo. Eis o que nos mostrou a direção para sermos bons amigos.

Quem venceu a sobremesa? Ah, foi uma risada só. Escreveu-se num papelzinho que depois foi aberto e….SURPRESA! Cada um votou na própria…Esse grupo é mesmo incrível! rsrsrs

# Aglomeração? Hummm… Ainda não.
# Cuide-se.

1 Comment

  • Daisy disse:

    Sandra Loureiro
    >> Até compartilhei com uma amiga ,muito amiga do meu coração. VC falou tudo o que representa um amigo de verdade.Eu já estava sentindo falta das suas crônicas. Bjs. 👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻

Deixe um comentário!