Hoje eu começo uma série que chamei de PARE E PENSE

Claro que, com a proximidade das eleições, nós, cidadãos que amamos nosso país temos que parar para pensar o assunto. Convido você a pensarmos junto.

Começo a série falando sobre os candidatos que estão sendo apresentados como preferidos pelas pesquisas.

Da série PARE E PENSE. Olha o Nariz Dele…

Não vou dizer nomes, acho que nem preciso dizer, porque eles, afinal, são tão parecidos uns com os outros… Podem ter rostos diferentes e serem aparentemente diferentes entre si: uns mais magros, outros mais gorduchos, um ou outro tem o discurso mais elaborado, outros apresentam discurso tosco, uns se vestem de maneira mais despojada, outros mais formais. Entretanto, todos carregam a arrogância, o cinismo e o desejo de que o povo brasileiro continue naquela inocência do passado.

Continuam a mentir descaradamente, continuam a discutir abobrinhas, mas ninguém tem um projeto em que se possa ver seriedade.

Fazem alianças bizarras entre partidos que aparentemente não tem nada em comum, o que deixa bem claro que, sim, eles compartilham do mesmo desejo espúrio que é chegar ao poder a qualquer preço, mesmo que o preço a pagar seja esquecer os valores que pregam, mesmo que o preço a pagar seja aliar-se aos que ontem mesmo atacaram e de quem se declararam inimigos.

Dizem eles que isto é fazer política, num conceito que os próprios políticos criaram para justificar suas falcatruas.

Alguns não tem nenhum estudo formal, ou quase nenhum; outros são doutores. Os que não estudaram deviam ter tido pelo menos a curiosidade de ler Aristóteles.

Os que estudaram deveriam necessariamente conhecer os pressupostos aristotélicos para definir Política.

Aliás, hoje em dia qualquer criança mais interessada tem acesso a qualquer informação. Se tivessem esses políticos feito uma busca rápida, (bastaria ir ao Wikipédia) teriam lido uma definição que pode nortear decentemente alguém que tenha um mínimo de boa intenção na política.

Na filosofia aristotélica Política é a ciência que tem por objeto a felicidade humana e divide-se em ética (que se preocupa com a felicidade individual do homem na pólis) e na política propriamente dita (que se preocupa com a felicidade coletiva da pólis).

Ora, para bom entendedor pingo é letra.

ÉTICA – será que esses candidatos sabem o que significa a palavra? Certamente não. Até agora, praticamente todos os que as pesquisas apontam como preferidos já demonstraram que essa palavra não existe em seu vocabulário.

Mas, em contrapartida, a palavra política vem do grego polites, que significava cidadão. Ou seja, enquanto nós, povo brasileiro, não nos comportarmos como cidadãos, não teremos políticos éticos. Só que a noção de cidadania implica em sabermos quais são os nossos deveres, e nossos direitos, Precisamos conhecer nossos direitos para podermos lutar por eles. Precisamos nos informar para escolher nossos governantes.

Voto não é um bem que se deva vender. Voto é nosso dever e ao mesmo tempo, um direito.

Voto é a herança que deixamos – não apenas para nossos descendentes, mas para um povo inteiro.

PARE E PENSE.

Deixe um comentário!