Conversando com Daisy Lucas – Carla Nagel

 

Entrevistada: Carla Nagel

1- Seu nome é Carla Nagel. Você gosta de ser chamada por este nome, ou tem algum apelido que goste?

Gosto de Carla Nagel, foi o nome de família que escolhi.

Daisy – Bom, para mim é a Carlinha. Aliás, dos seus amigos que eu conheço acho que nenhum deles te chama de Carla. Portanto…rs

2- Compartilhe conosco os dois momentos mais importantes da sua vida até agora.

Foi quando eu passei para Comedie Française, escola fundada por Molière em 1680 na França, onde aceitam apenas 3 estrangeiros por ano. O sonho de uma vida. O segundo ainda estou esperando… rs.

Daisy – Realmente, uma super conquista, que você não pode esquecer nem deixar de lado. Ao contrário, deve aproveitar e aplicar tudo o que esse tempo te trouxe. E, pelo que já assisti, está tudinho lá, na sua interpretação, na sua postura no palco, no seu brilho.

3- O que você faz na vida?

Muitas coisas, trabalho na parte cerimonial e cultural do Tribunal de contas, sou produtora cultural e ATRIZ, minha profissão primeira.

Daisy – Seu outro nome é Trabalho…rs, mas sempre que lembro de você, eu a vejo num palco.

4- Por que se decidiu por ser atriz?

Amor, prazer.

Daisy – É… percebe-se, você “destila” prazer e emoção quando fala das suas peças, embora eu saiba que produzir teatro é uma luta… e que luta!

5- Já vi você fazendo tanta coisa… Além do que faz atualmente, existe alguma outra atividade à qual você gostaria de se dedicar?

Gostaria de ser somente atriz.

Daisy – Isso aí, segue o teu sonho primeiro, o mais antigo.

6- Você tem algum hobby? Por que classifica isto como hobby?

Fotografia, amo fotografar. Faço isso desde que usávamos filme… Outro século!!

Daisy – E fotografa muito bem, faz uns enquadramentos superlegais, eu acompanho na sua página.

7- Se você tivesse por um dia o Poder do Trump o que faria nessas 24 horas?

Acabava com a fome no mundo.

Daisy – É…, seria tão bom, mas, sabe, eu acho que a fome acaba sendo um grande business para políticos e tanta gente, eles ficariam sem argumento e sem discurso. Mas temos que continuar com um pensamento legal, o de acabar com essa miséria toda.

8- Qual a pergunta que você gostaria que eu tivesse feito e não fiz? Pois então, pode respondê-la..

Sinceramente não sei…

Daisy – Que bom…, me senti a própria Marília Gabriela (muitos risos). Aquela sim, sabia perguntar…

9- Tem alguma mensagem que queira enviar e que acha que pode ajudar pessoas?

“A vida é a Arte do encontro…” Tenha amigos, parceiros de vidas!!

Daisy – E você sabe fazer isso, e como! Conheço amigos seus de uma vida inteira, você cultiva amigos. Muito bacana isso.

10- Por favor, nos diga com o que está envolvida no momento e também fale um pouco sobre projetos futuros, se os tiver.

Estou com o espetáculo “Uma peça para Dois” , no teatro Maison de France até o dia 30 de setembro. Depois vamos para São Paulo. E continuo produzindo o “Inevitável Trem”. Vida longa para as Duas!

Daisy – Ainda não fui ao Maison, irei na próxima semana, mas “O Trem”é o máximo, eu nunca tinha visto uma cena como aquela de preparar um prato de massa – delicioso, aliás, em pleno palco. E a interpretação de vocês estava emocionante.

Bom, tenho a dizer que tenho muito orgulho em ter sua amizade, você é pessoa como poucas, tanto no talento como na atitude. Sou sua fã, e torço sempre por você. SUCESSO, sempre.

MUITO OBRIGADA
Daisy Lucas

Deixe um comentário!