Quebrando a Engrenagem!

Vínhamos, eu e meu neto Vinicius – um jovem de 15 anos, por um caminho mais que conhecido, quando ele disse “Sabe do que eu tenho saudade?”

Perguntei de quê, e ele me disse: “Saudade de alugar vídeo”, e foi quando percebi que estávamos passando pelo shopping onde havia a loja em que alugávamos vídeos e, de quebra, ainda rolava um sorvetinho (o dono da loja sabia aproveitar o espaço, tinha muitos vídeos infantis e…, claro, onde tem criança, tem sorvete e pipoca, exatamente o que ele oferecia além dos vídeos).

Argumentei que algumas coisas se tornam desnecessárias porque são substituídas e Vinicius, mesmo concordando, disse que não era a mesma coisa.

Continuando nossa conversa, ele me disse que era impressionante como a minha geração havia sido testemunha de tantas mudanças…e, rindo, completou: “Vó, você viu todos os campeonatos mundiais de futebol que o Brasil ganhou”.

É… Eu vi. Vi o Brasil entusiasmado ganhar o primeiro, depois ser Bi, depois ser Tri, depois ser Tetra, depois ser Penta…, e depois assistimos o 7×1 que deixou todo mundo envergonhado…, ou pelo menos este era o comentário geral.

Não é bem o que eu penso…, acho que existe o conceito de vencer sempre, vencer de qualquer maneira, na nossa cultura que para mim é o conceito que os “perdedores” têm de vitória.

Sim, porque os que são verdadeiramente vitoriosos valorizam o processo, a competição, o crescer gradativo. O verdadeiro vencedor sabe que a vitória não é qualquer coisa que cai do céu, mas é fruto do esforço e da experiência.

Hoje sinto que os 7×1 não foram acrescentados à nossa experiência, e nem estou mais falando de futebol, estou falando agora de aproveitar as experiências que vivemos, como povo, e agregar esta vivência à nossa cultura.

Estamos a menos de dois meses da eleição.

Aqueles que se interessam pelos destinos do nosso país, puderam ver, observar, constatar e tirar todas as dúvidas, de como a podridão assola o Congresso e os políticos brasileiros.

Constatamos que o nosso sistema de governo só favorece a formação de zilhões de partidos que na verdade são aglomerados de pessoas, grupelhos que se formam para pressionar, chantagear governo e tirar proveito de formar maioria para obter vantagens e conseguir cargos para seus protegidos.

Leiam os programas dos partidos, comparem e vão ficar de queixo caído – programas de partidos considerados de direita ou de esquerda, quase todos dizendo as mesmas coisas, ideologia nenhuma além daquela ditada pelos interesse. Eis a origem de alianças que até hoje não conseguiram e nunca vão conseguir chegar a lugar algum enquanto não tiverem uma motivação mais “limpa”.

Bom, do futebol à eleição, diria você. O que tem a ver uma coisa com outra?

Respondo: continuamos a cultura de ganharmos o campeonato, enquanto o 7×1 está batendo à porta e ninguém está se dando conta.

Por favor, PAREM de dar importância somente a quem será o PRESIDENTE, porque se não pensarem direitinho em quem votarão para senador e deputado federal o Congresso continuará O MESMO, nadando na lama e sepultando a decência. Pior: seja quem for o Presidente, continuará REFÉM das alianças espúrias e vai tudo continuar na mesma M…(eu quis dizer M de maluquice, tá? Mas se você achar palavra melhor, use) . Use, porque se nós elegermos senadores e deputados do mesmo tipo desses que estão aí, a engrenagem da corrupção e do desmando continuará funcionando cada vez melhor.

Pense direitinho e escolha novos nomes para o Congresso, rejeite “políticos – herdeiros”, mesmo que sejam novos nomes, mas que tenham velhos sobrenomes, porque são herdeiros da trapaça e dos conceitos ignóbeis que vimos aparecer com a lava-jato.

Pare e Pense – o seu voto é o patrimônio mais importante que você tem. O seu patrimônio pessoal é herança apenas para sua família. O seu patrimônio “voto” é herança para um povo inteiro.

Deixe um comentário!