Liberdade de Escolha: Sim ou Não?

Ando lendo uns artigos que me deixam bolada, que citam a Teoria da Relatividade como negação do livre-arbítrio, e coisa e tal.

Fico eu a pensar que realmente hoje, e parece que cada dia mais, a liberdade de escolha está difícil. Não tanto para quem já tem suas convicções consolidadas, para quem tem experiência de vida, para quem já adquiriu “calos no cérebro” de tanto pensar, planejar a vida, refletir sobre o que viveu.

Mas para os jovens e inexperientes, vamos combinar que está complicado.

Claro, ainda não viveram situações suficientes para reunir material de reflexão, ainda precisam se valer da experiência alheia para entender os fatos que vivem. Bom, o inexperiente que tem a arrogância de afirmar que não precisa da experiência de ninguém, pobre pessoa. Vai ficar amargando frustrações e erros até chegar a algum lugar.

Por outro lado, para tirar proveito das experiências de vida de alguém é preciso acreditar. E como acreditar num mundo em que tanta coisa é montada, produzida para “causar” e não para transmitir a verdade dos fatos?

É. Está complicado mesmo.

Entretanto, se eu puder oferecer um pouco do que vivi e aprendi, digo aos jovens: Não desista de tentar, não tenha medo de errar, faça do erro o seu melhor mestre, aprenda com ele, e um dia certamente haverá mais acertos do que os erros.

Deixe um comentário!