O Novo Normal

Eu sei, você sabe, que profundas transformações acontecerão por conta do tal vírus. Melhor dizendo: já aconteceram e vão se expandir. Vão perdurar? Esta é a pergunta de 1 milhão de dólares.

A expressão “Novo Normal”, não é nova, a Sociologia pediu emprestado da Economia (o termo surgiu quando da crise econômica de 2007-2008), e já entrou para o vocabulário do dia a dia.

Mas…, qual é o “Novo Normal”?

Bom, vamos combinar que conceito de “Normal” cada um tem o seu. Mas a gente tem que começar por alguma coisa mais ou menos concreta, concorda? Então, vamos lá: Poderíamos dizer que o normal é o que é comum. Assim, hábitos e opiniões iguais para mim e para os outros do mesmo padrão, passam a constituir o normal.

Portanto, o dito “normal” acontece quando a pessoa tem um padrão estabelecido de hábitos e opiniões, que coincidem com o de outros. Pode ser assim? Então tá, me segue: ser igual num grupo social confere à pessoa segurança e consolida o sentimento de pertencer, concorda? Sim, eu sou igual, de forma que ninguém vai me estranhar, somos parecidos.

Só que não dá mais para viver do mesmo jeito que eu vivia até dois meses atrás. Tenho que ter novos hábitos. Ora, o novo me tira da zona de conforto, me faz repensar uma série de coisas. Tenho que escolher entre tantos caminhos, e no caso da Pandemia, encontrar um novo jeito de ser para ter alguma certeza de que vou continuar a existir. Sou obrigada a mudar e, claro, me adaptar à mudança. Tenho que escolher pra que lado eu quero ir…

Isso não é fácil, especialmente quando a alternativa é lançar-se à aventura de… sabe-se lá o quê. Morrer? Talvez.

Aí, como diria meu avô, “a porca torce o rabo” (jovens, perguntem à vovó ou ao vovô que eles certamente conhecem a expressão).

Escolher não é fácil por quê? Ora, porque nessa altura do campeonato damos de cara com um viruzinho safado que ainda nem tem cartão de visita, que a própria Ciência ainda não lhe foi apresentada, coisinha danada que se espalha no mundo inteirinho sem pedir licença, e tudo quanto é padrão vai para o espaço.

Trabalho? Home office.

Compras? Internet.

Comer fora? Na varanda, depois de receber (e descontaminar) o delivery.

Distanciamento social…, isolamento…, lockdown…

Bom, já que nada pode, temos que inventar o que pode. E daí tivemos que nos reinventar, ou seja, inventar um “Novo Normal”, porque as imensas e profundas mudanças de hábito e até de valores, redefiniram nossas rotinas e mudaram nosso comportamento.

Olha, a expressão é tão expressiva (perdoe-me o português nada estiloso) que o Twitter Marketing UK fez uma pesquisa para destrinchar essa história de “novo normal”, cuja leitura eu recomendo – superinteressante:  https://marketing.twitter.com/emea/en_gb/insights/the-new-normal-what-does-it-mean

Mas, para nos informarmos, vamos ver o que diz a OMS (Organização Mundial de Saúde). Na quinta-feira passada, dia 18 de junho, a própria Organização declarou que uma vacina contra o corona pode (leiam direitinho… PODE) ficar pronta ainda este ano, produzindo centenas de milhões de doses e 2 bilhões de doses em 2021.

Observação: Preste atenção em quem afirmou, guardem o nomezinho da distinta, porque se depois desmentirem você não vai dizer que eu inventei, hein! O nome da cientista é Soumya Swaminathan, cientista-chefe da entidade.

Mas, para confirmar o que eu disse antes sobre incerteza (e eu não vou desmentir, tenha certeza), a doutora completa, lançando um jato de água fria na esperança dos incautos (aqui, incautos são as pessoas que acreditam em tudo o que ouvem).

Finaliza assim: “Estou esperançosa, estou otimista, mas o desenvolvimento de vacinas é uma empreitada complexa, e envolve muita incerteza”. https://ndmais.com.br/noticias/oms-fala-pela-primeira-vez-em-possibilidade-de-vacina-para-este-ano/

Ah, é. Doutora?

Ih, já ia me esquecendo de te contar. A Pesquisa pergunta: Você está achando aborrecido ficar em casa?

13% diz estar muito aborrecido

49% afirma “não estar aborrecido de maneira alguma, e continua dizendo que nunca teve tanta coisa para fazer”.

Portanto…

# Fique em casa, só saia se for necessário.
# Se sair, preste atenção aonde vai e como vai.
# Cuide-se, você é muito importante para mim, já que leu meu texto até agora.

4 Comments

  • Denise disse:

    É,este ” Novo Normal” é a triste realidade!!😪

  • Muito bom! É essa situação que me preocupa: como estará o ser humano após a pandemia? Mais humano? Espero.

  • Shirley disse:

    O ser humano, é adaptável, acredito que o ” Novo Normal” ela vai se inserindo em nossas vidas gradativamente e assim seguimos!!! Olhando pra frente e sempre confiante.
    Que seja feita a vontade divina…

  • Daisy disse:

    Margarete Souza
    >>Gostei, Daisy!!! Tomara que a vacina saia mesmo! Bjs

    Rosemary Monteiro
    >>Daisy, que lindo . Adoro suas crônicas. Qdo eu crescer , quero ser assim. 👏👏👏👍👍

    Neuza Magueron
    >>Interessante o seu texto. Fui tomar um café essa tarde com Uma amiga E falamos justo esse Tema. Como disse o” novo normal”. Aqui (Suiça) ainda estamos achando um pouco estranho “nós os mais velhos”. Mudar de hábito, nessa altura de vida ? Bem, O mundo está igual sofrendo com os mesmos sintomas.

    Rosália do Rosário Silva
    >>Daisy obrigada pela crônica sobre o novo normal, adorei e estou repassando aos meus contatos, concordo com tudo que vc falou, parabéns 👏👏👏👏👏👏👄

Deixe um comentário!