Papai Noel e Covid!

Dia 25 de dezembro… duvido que exista alguém neste planeta que não ouça falar de Natal, ou não conheça alguém que o festeje, independentemente de convicção religiosa, nacionalidade.

O Natal, me parece, é o evento mundial que concentra as maiores expectativas das pessoas. E é aí que mora o perigo, porque o apelo comercial acaba invadindo o que deveria ser o verdadeiro espírito de Natal.

E o que seria o tal espírito? Ora, não estou aqui para escrever sobre o óbvio, mas tenho visto – pasmem queridos leitores, que o espírito de Natal não alcança um número imenso de pessoas. Aliás, retiro o pasmem – porque vocês acompanham as notícias e sabem que as barbaridades continuam acontecendo. Eu digo barbaridade não só de combates e guerras, mas também de ausência total de sensibilidade no tratamento do outro.

Uma pena que muitos não tenham aprendido nada sobre o valor da Vida, da Gratidão, e do Amor nestes anos que tem sido tão difíceis para a humanidade inteira.

Não monto árvores e nem encho minha casa de neve porque gosto de viver no real e minha realidade é um país tropical, onde faz um calor absurdo e chuvas tão inesperadas quanto copiosas, que derreteriam qualquer neve e as calçadas ficariam um lamaçal imenso. Continuo achando neve bacaninha só em cartão-postal…

Já faz muitos anos que no Natal enfeito minha casa de Luz. E é essa Luz que desejo que invada sua casa, sua vida, sua alma. E que possamos entender o Natal não como uma festinha qualquer em que as pessoas se reúnem sabe-se lá por quê, mas que seja uma reunião agregadora, amorosa, em que os presentes trocados tenham o papel de indicar amor e consideração. Apenas isso.

Bom Natal, queridos leitores.

#Ah, Papai Noel não morreu de Covid, passou por aqui outro dia (coitado, quase morrendo de calor com aquela roupa) rs

1 Comment

  • Norma disse:

    Feliz Natal Amiga!
    Sem Covid.

    Que não esqueçam do verdadeiro “ANIVERSARIANTE”

    Papai Noel não existe.

Deixe um comentário!