Só Love, só Love

Sempre achei estranha a mania dos povos de língua inglesa dizerem sorry para tudo.

Bom, quando se aprende inglês nos ensinam que sorry quer dizer desculpa. Só que, com o tempo, o que se vê é: alguém diz em inglês – o pneu do meu carro furou… e outra pessoa comenta: sorry.

Aí, alguém diz: meu pai morreu… e ouve: sorry. Puxa, perdi o trem … sorry.

Eu sempre ouvia aquilo e pensava: que tanto sorry é esse, gente. Não, não pense que é pura mania de encrencar, ou que sou “anti anglicanista” coisa assim. Na verdade, a questão nem é semântica, a questão é o esvaziamento do significado.

Em Linguística tem até termo técnico para isso, mas como estamos num bate papo entre amigos, vamos usar essa palavra “esvaziamento” que me parece bem apropriada para o caso. Explico: ora, uma palavra que serve para mil significados perde a personalidade, perde a essência.

Enquanto não nos atingia por aqui eu apenas registrava e estranhava, mas agora…. Ocorre que a outra mania dos povos anglo falantes era: Love you…

Love you era Tchau, era Oi, era cumprimento em qualquer circunstância.

Quando essa mania aportou por aqui, aí sim, passou a me incomodar: é um tal de Te amo pra tudo quanto é lado.

É Te amo para amigo. É Amo! Para situações que agradam, tipo: Você gosta de sorvete? Amo! Sabe andar de bicicleta? Amo!

Por favor, amor é outra coisa…. Fico eu a pensar: Será que a palavra perdeu a força porque usada vulgarmente, ou quem perdeu a força foi o Amor?

É a questão que coloco hoje para você. Pense… Pense…

Eu de minha parte, prefiro o amor no jogo do antigo significado. Sim, na moda velha, quando era quase raro falar-se “Eu te amo”, porque era um falar seletivo, sentido, e não apenas uma expressão.

#vamos nos cuidando que Cingapura está mostrando que a barra ainda está pesada…

Deixe um comentário!