Anonymous ou Anônimo

11 de setembro, o dia exato para falar dos Anônimos da vida.

Conversando com amigos sobre o último 7 de setembro, houve quem estranhasse a ausência do Anonymous. Para quem não sabe, este é o nome do personagem da imagem acima. Na conversa, uma das pessoas relembrou fato que me deixou perplexa.

Uma conhecida loja de artigos de Carnaval também vendia a máscara do Anônimo. Só que o dono da loja, antes de vendê-la, perguntava _Você vai na manifestação? E daí começava uma conversa sobre política, ética e outras “generalidades” em que a pessoa, afinal, era convencida a ir de cara limpa, e a frase final do convencimento era “Defenda suas ideias vestido de você mesmo, vá de cara limpa”.

Do grupo, só eu conheci a história ontem, os outros participantes viveram a história na época.

Fiquei pensando sobre como é importante estarmos de cara limpa e assumirmos o que realmente acreditamos. E, além de cara limpa, sabermos o quê e o porquê de estarmos fazendo tal ou qual atitude como, por exemplo, usar essa máscara.

Sou capaz de apostar que a grande, imensa maioria das pessoas não sabe o que o Anonymous significa.

Eu, que adoro contar uma história, me inspirei na atitude do dono da loja, engrenei uma primeira e aqui vai.

O criador da máscara foi um inglês – David Lloyd. Mas isto aí por volta de 1606. E o rosto que ele reproduziu foi o de Guy Fawkes, que pretendia restaurar o poder da Igreja Católica na Inglaterra. Para tanto, a lista de intenções era enorme: matar o rei James I, explodir o Parlamento com todos os parlamentares dentro, e outras coisinhas, mas foi descoberto quando levava os 36 barris de pólvora para o subsolo do prédio. A conspiração caiu no ridículo e ficou sendo conhecida como a “conspiração da pólvora”.

Resumo da ópera: até hoje a Inglaterra é um país de igreja Anglicana, e todos os dias 5 de novembro em algumas regiões, bonecos de Fawkes são queimados em praça pública, tipo Judas aqui no Brasil.

Moral da História: quem não pode mostrar a cara que fique em casa, quem quiser usar o Anonymous não venha com essa história de que está defendendo causa, o símbolo é de destruição mesmo. Agora, quem acha bacana, que use, democracia é isso aí.

Que use o Anonymous, mas que não deixe de usar a KN95, porque esta esconde a cara por uma boa razão.

Deixe um comentário!