Xadrez

A princípio a imagem não dá muita dica, mas nós vamos falar de Política.

Para começar, vamos definir de que política estamos falando e para isso proponho refletir sobre o conceito: Política é Arte ou Ciência?

Isso é você quem vai decidir.

De minha parte só vou comentar que para esse nosso papo o alvo é a atividade desempenhada pelo cidadão quando exerce seus direitos em assuntos públicos através da sua opinião e do seu voto, já que a palavra política tem origem na palavra grega “polis” que significa “cidade”. Assim, a Política era, em sua origem, a arte ou ciência que determinava a ação empreendida pelas cidades-estados gregas para organizar a convivência entre seus habitantes e as relações entre as cidades-estados vizinhas.

Gosto de política, gosto mesmo. E não só gosto como penso que é fundamental nos mantermos informados sobre o que nossos governantes e representantes do povo estão fazendo, para exercermos plenamente nossa cidadania,

Sempre me revolta a manipulação do desejo não só na Política, como em qualquer atividade humana, mas na política posso até entender que faz parte. Faz parte…. Ninguém é sincero o tempo todo e estou sim, falando agora das mentiras eleitoreiras que atingem multidões como se fosse um raio – míssil programado para um destino certo. E o pior é que atingem mesmo.

O que mais me surpreende é que atingem pessoas de tão diferentes camadas sociais, culturais, ideológicas, musicais e sei lá mais quê, pois cada um de nós é pequena porção formadora do que em Sociologia se denomina “massa”.

Você é representante do seu povo, você faz parte da massa. Espero que já tenha despertado para a responsabilidade disto.

Um dos grandes problemas, para mim, é que nossa Educação não educa, Escola não educa e nem os grupos sociais responsáveis ou corresponsáveis por EDUCAR educam.

Porque educar não é apenas entupir alguém de Conceitos, e Poesias, e Histórias, e Cálculos, e Mapas…

O que adianta aprender conteúdo se desde criança não se aprende no Brasil a exercer sua cidadania? Ser cidadão para nós brasileiros, é quase uma abstração…

Daí, não existe vigilância cidadã.

Daí está facilitada a ocorrência dos malfeitos, da corrupção, com a permissão concedida pelo conformismo inocente do povo (inocência originada na ignorância dos direitos e dos deveres cidadãos).

Durante a Pandemia assistimos governantes e seus auxiliares usarem o período de calamidade para saquear os cofres públicos, aproveitando-se dos gastos emergenciais para ROUBAR.

Certamente a Justiça não vai deixar passar desapercebida essa grande vigarice (sinto, mas não vejo adjetivo melhor).

E, espero eu, que o povo acompanhe com muita atenção tudo isso, o processo e seus resultados, e que anotem o nome de toda essa gente que não só durante a pandemia, mas o tempo todo se utiliza de artifícios ladroeiros para encher os próprios bolsos e esvaziar os cofres públicos.

Que o povo comece a pensar como cidadão e em vez de fazer reverências a esses políticos e a seus cúmplices, comece a cobrar lembrando que se estão em seus cargos é porque nós, povo, o colocamos lá para administrar nosso dinheiro – porque o imposto que pagamos nada mais é do que o nosso dinheiro, sim.

Que cumpram seu dever com a mesma precisão e competência que nos é exigida nos escritórios, nas escolas, nas fábricas, e nas oficinas em que o povo trabalha.

Que o povo tenha dignidade para exigir dignidade dos seus “empregados”- é o que, em última análise, os políticos são – empregados da Pátria.

Nesse Jogo de Xadrez não somos peões, somos Reis e Rainhas.

Nós mandamos neste jogo.

Mas tem que saber jogar.

# máscara na boca, mas mantenha olho vivo nos corruptos.
#cuide-se.

Deixe um comentário!