Deus Não Pode Estar Em Todos os Lugares

Gosto de ditados populares, geralmente têm muita sabedoria. Hoje escolhi um deles, que diz assim:

Deus não pode estar em todos os lugares, por isso fez as mães”.

É um ditado judaico, e meu coração bateu forte quando o li.

Mães são… olha, quer saber de uma coisa? Impossível definir, não só como filha, mas também como mãe.

Sei lá… acho que “mãe” é aquela categoria de gente que guarda o instinto mais primitivo, mais animal, na defesa de seu filho. É como o bicho que defende sua cria, é como a aranha que tece sua teia, que aparece magicamente e nos mostra ser uma rede de proteção, mesmo que só perceba isso tempos depois.

Mães demonstram seu amor de tantos modos… no sorriso, no carinho, nos cuidados, nos puxões de orelha, e só reconhecemos que ele é realmente é um amor incondicional quando passamos a ter nossos próprios filhos.

Mãe foi sempre um dado tão importante na minha vida, que – percebo agora, depois que a minha mudou para o mundo espiritual, fiquei “adotando” mães ao longo do caminho.

Quantas vezes fui filha de minha própria filha, de minhas netas, de minhas irmãs. Porque ser mãe não é apenas ter parido uma criatura, é doar-se a alguém, é dedicar seu amor de forma altruísta, livre de interesses, e pintado das cores do afeto.

Sim, Deus não pode estar em todos os lugares, mas eu, criatura de muita sorte na vida, tive uma mãe admirável, mulher inteligente, corajosa, e até hoje encontro sinais dela nos meus caminhos.

Certamente essas minhas outras “mães” aprenderam com ela. Aprenderam não a ser aquela mãe “boazinha” que deixa tudo por conta do destino, mas a que assume sua maternidade, e a dor e a delícia de mostrar que os caminhos do amor nem sempre são cor-de-rosa, e que as cores do afeto podem ter às vezes tons sombrios, mas carregados de vida.

Minha homenagem eterna à minha mãe, e às outras mães que adotei pelo caminho.

Feliz Dia das Mães.

# Acredite… vai passar.
# Cuide-se.

2 Comments

  • Denise disse:

    Parabéns pela linda e amorosa crônica! Realmente este sentimento que existe entre nós foi plantado na família,desde nossa avó. Tivemos muita sorte! Nossa Mãe, era “hors-concours”! Espero que continuemos o legado que nos deixou! Bjs

  • Daisy disse:

    Maria do Carmo Poleza
    >> Muito boa sua partilha querida Daisy Lucas, que sua semana seja cheia de paz.

Deixe um comentário!